Parlamentares rebateram críticas da bancada federal do PSL com relação a CPI da Energisa

Autor: YARIMA MECCHI E IZABELA JORNADA

06.11.2019

“É discurso para enganar o eleitor e colocar em rede social” foi como classificou o deputado estadual José Carlos Barbosa (DEM), o Barbosinha, a pressão da senadora Soraya Thronicke e do deputado federal Loester Trustis, ambos PSL, na internet para que a Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul (ALEMS) assinasse o requerimento do deputado Capitão Contar (PSL) para a instauração de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investigue possíveis irregularidades  nas contas de energia dos consumidores do Estado.  

A senadora e presidente do PSL-MS postou um vídeo onde pede explicações sobre um suposto valor de R$ 200 mil como custo da CPI. O vídeo foi gravado na frente da ALEMS onde a senadora afirma que protocolou um pedido especificando o que seria gasto com a CPI. Ela justifica ainda que a bancada federal do Estado já procurou a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e a Energisa, mas não obteve respostas satisfatória.

Com relação ao vídeo do deputado Loester, também gravado na sede do Legislativo sul-mato-grossense, ele usa palavras de baixo calão para identificar os parlamentares que não assinaram o requerimento do Contar. E também afirma que protocolou um pedido de especificação de valores.

Por conta da declaração, a sessão de ontem foi interrompida em uma hora para reunião com todos os deputados, menos o Capitão Contar que não estava na ALEMS. Na  conversa foram definidas quais as providências devem ser tomadas.  

Durante o discurso no plenários, Barbosinha afirmou que após Contar não conseguir assinaturas necessárias para instaurar a CPI os deputados começaram a ser “torpedeados a cerca deste assunto”. O parlamentar destacou que não foi contra a instalação da CPI e lembrou sobre a instalação de outra CPI com relação a Energisa e “pouco tempo depois ela estava sepultada junto ao Tribunal de Justiça exatamente porque não trazia o chamado fato determinado”, a razão pela qual se justifica uma CPI. “A partir do momento que eu tenho evidencia que há um desvio eu tenho o fato determinado”, ressaltou o Barbosinha.

Também em plenário o deputado Lídio Lopes (Patriotas) e presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), chegou chamar o deputado Capitão Contar  de “rei das redes sociais”. Uma imagem estaria sendo disseminada na interner com os nomes de quem assinou e quem não assinou o requerimento do deputado.  “Ao todo 53% da conta de energia está com a Itaipu e  com uma empresa de transmissão. A empresa energética que é a  Energisa aqui em MS fica com 1/4 do valor. Então porque não se questiona o parlamento federal do Senado que se instaure uma CPI para discutir a rede energética dos país, a questão da Aneel, Itaipu, Eletrosul e não só questionar as empresas  menores. Jogam para cima uma questão que não é só nossa”, disse Lídio. 

Nos bastidores da casa de leis a reclamação com relação ao deputado Contar é grande. Ele não esteve na sessão de ontem e também não participou da reunião com os demais parlamentares ficou de fora da Comissão de Ética que foi instalada na casa logo após a conversa dos deputados. 

Conforme bastidores, alguns deputados acreditam que Contar estava com medo da repercussão e por isso não compareceu na sessão. A assessoria de imprensa do parlamentar chegou a afirmar que ele estava no gabinete, porém o Correio do Estado foi ao local e informaram que o deputado estava em agenda externa. 

O uso das mídias sociais para  expor quem assinou o requerimento de CPI não foi bem visto. Alguns parlamentares cogitaram que Contar está usando o poder Legislativo para fazer sua pré-campanha a Prefeitura Municipal de Campo Grande. Ele é o nome da presidente do PSL, Soraya, para concorrer pela sigla em 2020.

Nos bastidores parlamentares avaliam que Contar está “jogando para a platéia” e tentando não fica mal com os colegas, porém faltou porque sabia que o xingamento do Trutis iria acabar respingando nele. 

O deputado Zé Teixeira (DEM) disse que o parlamentar precisa ter respeito e ainda ponderou que não adianta apenas ficar em redes sociais e não ter trabalho político para continuar. “Não tem conteúdo político e fica em rede social. Tem que usar rede social para prestar conta do que está fazendo. Ficam usando discurso para confundir o eleitor. Eu não voto em nenhum e espero que não votem em mim”, finalizou. 

CPI

Amanhã o deputado Felipe Orro (PSDB) deve apresentar um novo requerimento  de CPI. Ele afirmou em plenário que tem fato determinado e espera que todos assinem se acharem que tem válidade e acredita que tem fundamento.

Fonte: Correio do Estado

Voltar ao Topo

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Envie sua notícia

(67) 99968-0055

© 2019 Diário MS News. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.
Livre reprodução, transmissão ou redistribuição dos conteúdos sem edição. Pede-se a citação do crédito.

Site desenvolvido por: