Poder Judiciário custeia projetos de energia solar, gerando economia a entidades sociais

Entre os projetos sociais contemplados pela Central de Execução de Penas Alternativas (CEPA), vinculada à 2ª Vara de Execução Penal (VEP) de Campo Grande, muitas instituições cadastradas à CEPA apostam nos pedidos de instalação do sistema de energia solar (sistema fotovoltaico), como uma forma de reduzir os custos mensais da conta de energia elétrica. A compra e instalação dos equipamentos é custeada por valores arrecadados de penas impostas a crimes cometidos sem violência ou grave ameaça à pessoa.

Nos últimos três anos a Central de Execução de Penas Alternativas doou cerca de R$ 650 mil para custear a instalação do sistema de energia solar em sete instituições sociais de Campo Grande. Foram instaladas placas solares na Associação Pestalozzi de Campo Grande; Associação Beneficente dos Renais Crônicos (AbrecMS); Associação Lar do Pequeno Assis; Casa de Maria; Instituto Luther King; Fazenda da Esperança e Associação de Recicladores de Lixo Eletroeletrônico de Mato Grosso do Sul (Recic.Le).

A Associação Pestalozzi de Campo Grande, que atende pessoas com deficiência, sobretudo intelectual e com transtorno neuromotor, apresentou o projeto de instalação de painéis solares em 2019 e a instalação ocorreu em 2020, colhendo muitos benefícios desde então. Foram investidos R$ 198.900,00 e, segundo a presidente da instituição, Gyselle Saddi Tannous, a economia gerada é bastante significativa.

De acordo com o gráfico de controle da energia produzida, de janeiro a outubro deste ano, a cada mês, embora haja uma variação de acordo com a quantidade de sol e chuva, a produção variou entre 6 a 4 Megawatt-hora (MWh) o que equivale a créditos junto à companhia elétrica entre R$ 5 mil e R$ 7 mil ao mês.

“Com essa produção, o custo da instalação do sistema de energia solar se paga em pouco tempo e, a partir daí, ela se torna economia para o meio ambiente, pois estamos usando uma energia limpa, sustentável, além de um valor significativo de economia gerada para a nossa instituição. E, mais do que isso, este foi um dos projetos já custeados pela CEPA que mais reverteu em benefícios aos usuários, porque com essa economia é possível reverter em atendimentos”, afirma Gyselle.

A instituição apostou em outro projeto de sustentabilidade para o ano de 2020, com a instalação de um sistema de captação de água da chuva com o objetivo de gerar um reaproveitamento sustentável de águas pluviais, reduzindo consideravelmente também o consumo de água potável na instituição.

“Temos investido bastante na preservação eco ambiental e nossos projetos encaminhas à CEPA vêm nesse sentido de dar respostas boas para o meio ambiente e para as pessoas”, finaliza a presidente.

Saiba mais – Os projetos são apresentados anualmente e, após análise do juiz da 2ª VEP, Albino Coimbra Neto, e, com o parecer do Ministério Público Estadual, os recursos das penas pecuniárias são repassados a estas entidades para o desenvolvimento da instalação do sistema fotovoltaico. Após a conclusão, cada instituição presta contas em juízo com relação ao correto emprego dos recursos doados.

Autor da notícia: Secretaria de Comunicação – [email protected]

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também