Nova Andradina apresenta baixa incidência de dengue em 2021

Nova Andradina contabilizou 18 notificações de dengue no ano de 2021. No mesmo período, no ano passado, foram 189 notificações. No comparativo, o número é 10 vezes menor.

Os dados estão disponíveis no banco de dados oficial do estado de Mato Grosso do Sul (SINAN Online). Mediante essas informações, o Departamento de Controle de Vetores da Prefeitura de Nova Andradina elabora as estratégias, ações e interlocuções entre as equipes técnicas.

De acordo com o último boletim epidemiológico, o município apresentou baixa incidência de dengue (abaixo de 100 casos por 100 mil habitantes). São 18 casos prováveis*, e apenas 2 já confirmados (1 no mês de janeiro e 1 em março). Os demais casos seguem em investigação.

Na análise da equipe de saúde, houve uma queda abrupta de 1050% no número de casos no mesmo período do ano passado. Os bons resultados podem ser atribuídos ao trabalho dos agentes de mutirão da limpeza e agentes de endemias, associado a participação da população, importante parceira na prevenção e combate aos criadouros do mosquito aedes aegyti.

“A previsão é de que os casos notificados caiam ainda mais a partir de devido à estiagem de inverno. Seguimos firme com o trabalho de visita nas casas, orientação aos munícipes, vistoria de inspeção em imóveis, empresas e terrenos baldios, e a limpeza das áreas públicas. Essa rotina faz parte do combate educativo e preventivo realizado durante todo o ano. Com o apoio dos nova-andradinenses vamos conseguir eliminar de vez a dengue do município”, declarou o secretário Sérgio Maximiano. 

Dados comparativos dengue 2020 / 21021 Nova Andradina (período: 13 primeiras semanas do ano)

Observa-se uma quantidade pequena de notificações de casos suspeitos de dengue em Nova Andradina.

Dados até a semana epidemiológica 13 (casos de dengue confirmados)

* Casos prováveis englobam os casos ainda em investigação, que não foram finalizados no sistema ou que já foram confirmados.

No cenário de notificações de casos suspeitos enviados pela vigilância epidemiológica através do SINAN, o município apresenta uma situação de maior controle comparada ao mesmo período do ano passado:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também