No “abril azul”, Neno Razuk ressalta ações e a importância de tratamento inclusivo

O mês de abril é considerado o “mês azul”, em alusão ao dia 2, escolhido como Dia Internacional da Conscientização do Autismo. A data foi criada pela ONU (Organização das Nações Unidas) em dezembro de 2007, como um marco para conscientizar a população sobre o transtorno de TEA (Transtorno do Espectro Autista). Com ações no mandato voltadas ao fortalecimento da causa especial, o deputado estadual Neno Razuk (PTB) apresentará durante todo o mês indicações, matérias e até mesmo emendas sobre o tema.

“Destaco como parlamentar, que esse setor precisa de um olhar mais humano e apesar de termos vários centros e associações especializadas no Estado, os autistas precisam de um acompanhamento mais assistido e voltado para o seu desenvolvimento.

De acordo com a AMA (Associação de Pais e Amigos do Autista de Campo Grande) a estimativa é de 1 em cada 160 crianças tenha um TEA. Essa estimativa representa um valor médio, uma vez que a prevalência observada varia consideravelmente entre os diferentes estudos.

Em Mato Grosso do Sul há alguns locais que fazem atendimento especializado para os autistas, como a AMA-CG, na Capital, que tem o trabalho voltado somente para autistas. Além disso, Campo Grande tem a Escola Juliano Varela, o instituto Cotolengo Sul-mato-grossense e a Apae (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais), que são locais de atendimento para quem tem deficiência.

“Infelizmente ainda não temos dados oficiais sobre o autismo tanto no Estado quanto no Brasil. A estimativa é  que o TEA afete uma em cada 160 crianças no mundo, o que representa aproximadamente 70 milhões de pessoas no planeta e cerca de 2 milhões somente no território brasileiro, mas isso ainda é muito vago e afeta o acesso ao tratamento”, aponta o deputado lembrando que uma das proposições como parlamentar é a efetividade desse cadastro.

Para entender melhor o assunto, Neno constantemente visita instituições, sempre tomando os cuidados necessários devido a pandemia. “Em uma das visitas que fizemos às instituições, as coordenadoras ressaltam como os pais estão mais conscientes e levando seus filhos diagnosticados com o TEA (Transtorno do Espectro Autista) para terem um acompanhamento especializado. A informação é a grande chave para que a família entenda o que está acontecendo, aceite e continue o tratamento. Esse é sem dúvida o maior avanço, porque traz acolhimento para essa criança ou adolescente, que precisa dessa inclusão. Passamos mais de um mês acompanhando essas instituições e o trabalho de todas elas além de emocionante é extremamente importante. Reforço que estou voltando as minhas ações de trabalho parlamentar para essa área que não é muito assistida pelo poder público”.

Interior

Já em Dourados a construção, em Dourados, da sede própria da Associação dos Autistas da Grande Dourados (AAGD) e a compra dos equipamentos para o funcionamento do local também é um marco para o atendimento aos autistas.  

A sede que foi construída no Bairro Canaã III, em Dourados, tem o objetivo de prestar atendimento aos autistas de toda a Região, que compreende trinta e três municípios e uma população de mais de um milhão de habitantes. O local terá consultórios médicos, atendimentos pedagógicos diversos e de fonoaudiologia, odontologia, fisioterapia e terapia ocupacional, com a presença de psicólogos, assistentes sociais e outros profissionais.

Fonte: Assessoria

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também