Estado apresenta indicadores otimistasdurante Fórum de Suinocultura

Ao participar, representando o Governo de Mato Grosso do Sul, do VI Fórum de
Desenvolvimento da Suinocultura, com o tema ‘Desafios e Oportunidades’, realizado
pela Asumas (a Associação Sul-mato-grossense de Siuinocultura) em parceria com o
Sindicato Rural de Dourados, como parte da agenda da 58ª. Expoagro, o vice-
governador José Carlos Barbosa (Barbosinha) detalhou as potencialidades do Estado
no setor produtivo e falou sobre o momento de “grandes expectativas”.
“Nosso governador [Eduardo Riedel] está em Nova Iorque e me pediu que trouxesse
aqui o grande abraço do Governo de Mato Grosso do Sul a esse segmento que ajuda a
impulsionar a nossa economia, que já desbravou o mercado asiático, para onde
estamos enviando quase a totalidade da produção suína, mercado que vamos alargar
ainda mais com as boas perspectivas da nova fronteira que se abrem com a Rota
Bioceânica”, saudou o vice-governador.
Barbosinha participou do Fórum acompanhado pelo secretário-adjunto da Semadesc
(Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento, Ciência e Tecnologia), Walter
Carneiro Júnior, o secretário-executivo Rogério Beretta e o diretor-presidente da Iagro
(Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal), Daniel Ingold, juntamente
com o presidente da Asumas, Milton Bigatão e do Sindicato Rural de Dourados, Angelo
Ximenes, organizadores do evento.
“Falando com o Riedel, percebi que, já no segundo dia da MS Day, que acontece em
Nova Iorque, ele se encontra muito satisfeito com os primeiros resultados até agora, e
com certeza vai retornar dos Estados Unidos com novas boas notícias para o
incremento da nossa força demonstrada com números expressivos no cenário
nacional”, acrescentou.
Ao destacar a força da suinocultura sul-mato-grossense, que se soma ao
desenvolvimento do Estado, Barbosinha enumerou as mais avançadas tecnologias do
pais empregadas na produção regional. “Tenho como exemplo a Seara, cuja planta de
Dourados dá um salto de 4 mil para 10 mil abates e eleva de 4.000 para mais de 7.000
empregos a capacidade de trabalho”, citou.
Mato Grosso do Sul possui uma produção superior a 3 milhões de cabeças que
abastecem os mercados asiático e dos Emirados Árabes, onde a chinesa Hong Kong é
responsável por 26,76% da receita com a venda externa da carne suína. “Com a Rota,
certamente esses números vão aumentar, vamos encurtar em 15 dias o transporte e
operar com valores inferiores para obter mais renda na atividade”.
Indicadores
O MS foi o estado da federação que mais cresceu em 2023: média de 6,6% enquanto o
Brasil cresceu 2,9% e para este ano a estimativa se mantém positiva: 5,82% contra 2%.

O Estado tem a terceira menor taxa de pobreza extrema (2,8%) e a quinta melhor
renda média do pais, com a menor taxa de desocupação. É o segundo no ranking de
investimento público, aplicando 18,16% da receita corrente líquida.
“Eu costumo dizer que estamos vivendo no Estado certo no momento certo,
exportamos 10,61 bilhões e importamos 2,95 bilhões, isso deixa um saldo positivo de 7
bilhões e 600 milhões de dólares. Desde 2015, o Estado já prospectou mais de 100
bilhões de reais em investimentos externos; só neste ano já chegamos a 33 bilhões”.

Facebook
Twitter
WhatsApp

Leia Também