Dante Filho conta detalhes sobre o livro de poemas “Cabeça de Chapéu”

Durante o bate-papo no Diário MS News, o jornalista Dante Filho da ênfase em obras futuras.
Tony Ueno

Dante Filho é jornalista e escritor. Hoje vive o melhor momento da sua vida,  e resolveu compartilhar com o Diário MS News, detalhes do livro de poemas “Cabeça de Chapéu” e um pouco da sua trajetória.

Recentemente o jornalista escreveu o livro de poemas intitulado “Cabeça de Chapéu” projetado durante a pandemia. O livro foi confeccionado na editora CopArt de Santa Catarina, com projeto gráfico de qualidade, com capa tirada de um detalhe de um quadro de Humberto Espíndola e tiragem limitada.

Durante a quarentena, Dante Filho estava em Florianópolis, e tinha alguns poemas prontos que vinha escrevendo ao longo dos anos e resolveu tirar da gaveta. “ Pensei, vou criar uma narrativa de viajem contando um pouco da  minha história e os meus pensamentos saindo de Campo Grande que é o sertão e indo até o mar”, explica.

O Livro é uma espécie de autobiografia e uma narrativa de viajem. O autor do poema é um personagem que o jornalista inventou que no fundo é ele mesmo, um personagem meio confuso. “Tudo que ele pensa esta entre o chapéu e a cabeça”, completando “Os pensamentos dele estão entre o cérebro e esse espaço entre a cabeça e o chapéu”, comenta.

Ao falar do livro, o escritor cita logo o primeiro poema. “Toda loucura pode ser disfarçada com um chapéu na cabeça” e logo destaca a paixão pelo último “Eu vi o mar. Ele estava pleno á minha frente. Puro. Solene. Dono de si. Eu não era nada. Era ínfimo. Um acidente entranhado na insignificância do mundo. Era o horizonte voraz. Não havia nada. Eu estava só. Oco. Vago. A tristeza era ela mesma e sua completude. Não havia navio no cais. Era só eu e o mar”, recita.

O jornalista pretendia lançar o livro em julho, mais acredita que não será possível devido a pandemia causada pela covid-19. “Vou esperar às pessoas serem imunizadas, com o avanço da vacinação acredito que logo poderei promover uma noite de autógrafos para os amigos e leitores. Algumas edições serão entregues para o departamento de letras das universidades”, pontua.

Em relação ao escrever poesia Dante revela que é muito difícil. “A poesia além de combinar com o momento que você esta vivendo. Hoje tem vários tipos de poesias. Poesia tem que ter musicalidade, tem que ter ritmo”,  explana.

Entre os escritores que o jornalista diz se inspirar está; Manoel Bandeira, Jorge Luiz Borges e Drumon. E, ao ser questionado sobre um dos maiores poetas, Manoel de Barros, Dante disse que ele deixou uma herança muito ruim para quem escreve poesia. “Ele aqui em Campo Grande, no Estado de Mato Grosso do Sul, gerou uma geração de poetas imitadores. Todo mundo acha que para fazer sucesso na poesia tem que imitar o Manoel de Barros. Eu procurei me desvencilhar disso. Dessa tradição chamada tradição MANOELINA”, enfatiza.

Dante disse não imitar o Manoel de Barros porque ele é exclusivo. “Não sou estudioso de literatura, sou um leitor, então procuro fazer de um jeito que me agrada. Temos que sair desta esfera, os poetas locais tem que ler Manoel de Barros, mais não imitar “, salienta.

Trabalhando em outros três livros, Dante da ênfase sobre as obras que no forno. Citou a obra Ensaios –  “Delírios da Província” que será ilustrada por ele desde a capa. O livro é baseado nos artigos e opiniões, publicados e produzidas pelo jornalista ao longo dos 40 anos de profissão.

Já o segundo livro, que será de Contos  –  (Não tem título ainda), grande parte do livro já foi publicado no Blog do jornalista –  http://www.dantefilho.com.br/

E por fim, o livro que será um Romance  – “É Tudo Verdade”. Há dez anos Dante vem escrevendo o livro de quase 200 páginas que é uma troca de cartas entre um autor das telenovelas e um amigo que esta morrendo em Portugal. Os personagens tiveram uma vida muito intensa na época da ditadura, época das mudanças no Brasil, então eles resolvem trocar cartas para reavivar a memória e lembrar as coisas que aconteceram com eles. Nesta troca de cartas esta sendo construído o romance.

Logo após citar obras em construção, ao finalizar o bate-papo no Diário MS News, Dante revelou seu amor profundo pela poesia “Na Bolha” – página 86 – do livro de poema “Cabeça de Chapéu”.

“O que fazes trancada no banheiro essa noite – este espaço íntimo da casa, dedicado ao pensamento e ao perdão?……………………….”, finalizou o jornalista e escritor Dante Filho.

O jornalista Dante Filho, atua há mais de 40 anos na imprensa sul-mato-grossense. Já foi editor dos principais jornais diários do Estado de Mato Grosso do Sul. Dante atuou como assessor de imprensa no Legislativo e Executivo, saindo do Governo do Estado  ao Senado Nacional.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também