Cineasta campo-grandense lança curtas-metragens surrealistas no Pantanal

Robson Dantas

A cultura sul-mato-grossense comemora o lançamento de dois filmes em curta-metragem, inéditos em animação stopmotion, no próximo domingo, dia 13 de junho, ao vivo pelo YouTube, com apoio da Fundação de Cultura e financiados com recurso da Lei Federal Aldir Blanc. Os filmes foram produzidos e dirigidos de forma independente pela cineasta contemporânea, Gabriela Dias, com exibição no canal da videomaker youtube.com/gabicontemporanea e no canal oficial da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul, youtube.com/fundacaodeculturamsoficial, simultaneamente em dois horários: o primeiro às 20:00 horas, em seguida o segundo curta às 21:00 horas.

Na obra audiovisual a artista utiliza de fotomontagem agregada ao stopmotion para criar efeitos especiais realçando a transformação da natureza sobre ser humano. No filme Gabi estreia como atriz, apresentando o Pantanal “à sua maneira”, trazendo para o cinema a arte contemporânea com que trabalha, seja no roteiro, nas fotomontagens, na trilha sonora ou na dança.

Ver Post

O curta “Onça Contemporânea – toda uma vida contemporânea” é uma sequência do primeiro filme em que a personagem principal, a onça, decide partir do Pantanal para a cidade em uma viagem surrealista, na busca por conscientização das pessoas através da sua arte. A cineasta revelou que as obras levaram cerca de cinco anos para finalização de toda produção e edição. “Comecei com as técnicas de fotomontagem e videoarte. Em seguida, editei o primeiro filme utilizando ferramentas acessíveis e disponibilizadas na biblioteca de áudio do YouTube”.

De acordo com Gabi, a plataforma de compartilhamento de vídeos oferece o serviço gratuito para que os usuários da rede utilizem seus métodos de edição e ferramentas de produção, possibilitando o lançamento de filmes sem terem conflitos ou problemas por questões que incluem as prerrogativas dos direitos autorais.

Aldir Blanc

Com a crise sanitária da pandemia, os profissionais da cultura foram duramente atingidos diretamente na questão econômica, abalando também nas produções e filmagens, como a maioria dos brasileiros autônomos e trabalhadores informais. Isso não ficou restrito somente da indústria das artes, prejudicou todo o setor econômico nacional.

Pensando nisso, o Governo Federal disponibilizou recursos para fomentar as produções do segmento artístico como música, artes plásticas, cinema, e demais áreas. Assim, estabeleceu a Lei Aldir Blanc (nº 14.017 de 2020) de apoio à cultura, elaborada pelo Congresso Nacional com a finalidade de atender ao setor cultural do Brasil, um dos afetados com as medidas restritivas de isolamento social impostas pela pandemia da Covid-19, destinando para a indústria cultura investimentos de R$ 3 bilhões.

Pantanal Contemporâneo

O filme “Pantanal Contemporâneo – uma viagem interespacial” trata de forma surrealista, uma viagem ao Pantanal do Mato Grosso do Sul, onde acontecem eventos misteriosos e transformações surrealistas. Uma produção regada a muita aventura, natureza e surpresas, que leva o espectador a pensar sobre sua integração com o Pantanal, a descoberta de que os seres humanos e a natureza formam um único elemento, uma coisa só, totalmente interligados; provando que um depende essencialmente do outro para a coexistência em harmonia.

Fashion Revolution

Um detalhe importante, conforme Gabi Contemporânea, é que o filme menciona e aborda o movimento Fashion Revolution sediado na Capital do Reino Unido, Londres, que vem transformado o modo de fazer moda no mundo e cobra da indústria da moda mais responsabilidade, ética e transparência em todos os processos. Bastante evidenciado na mídia global nos últimos anos, o Fashion Revolution ampliou a discussão junto aos produtores e consumidores de moda em mais de 90 países.

“Não está nada na moda usar roupas que contribuam para a destruição do meio ambiente. A produção de tecidos, fibras e vestuário usados nesta indústria contribuem com diferentes formas de poluição, incluindo água, ar e solo”, protesta Gabi.

Biografia

Gabriela Dias é videomaker. Em 2010 foi premiada no Salão de Arte de Mato Grosso do Sul com “Caixinha de Música”, filme em animação stopmotion exibido em vídeo-instalação. Em 2011, Gabi Dias ganhou o prêmio “Melhor Clipe do Ano Rock do Mato MTV”, cuja animação em stopmotion foi veiculada nas MTV de Londres, Austrália e França. No ano de 2012 foi selecionada novamente no Salão de Artes de MS e apresentou sua vídeo-instalação “Entrelinhas” no Museu de Arte Contemporânea de MS. No mesmo ano foi convidada pelo Festival de Inverno de Bonito

(FIB/2012) para apresentar a Mostra Cine Arte com Gabi Dias com 20 de seus filmes. Finalista no Concurso Movimento Hot Spot na categoria cenografia (upcycle), representou Mato Grosso do Sul em uma exposição coletiva que rodou 10 capitais do país.

Em 2017, produziu o evento internacional de conscientização no mundo da moda, o Fashion Revolution no Museu de Arte Contemporânea de Mato Grosso do Sul (MARCO), apresentando uma instalação de moda e design sustentável e recebendo por isso Moção Honrosa da Câmara dos Vereadores de Campo Grande. Produziu instalações artísticas e ambientação sustentável para a décima sétima edição do Festival de Inverno de Bonito (FIB).

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também