Avança projeto que cria a Fundação de Apoio à Educação e à Pesquisa de MS

Wagner Guimarães

Projeto de Lei 48/2021, do Poder Executivo, que cria a Fundação de Apoio à Educação e à Pesquisa do Estado de Mato Grosso do Sul (Fundep/MS), teve o parecer favorável aprovado pela Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR). A matéria já pode ir à votação do plenário da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul (ALEMS).

A finalidade da fundação é apoiar, incentivar e fomentar a formação dos profissionais de educação, assim como a educação científica e tecnológica dos estudantes da rede pública de ensino. A intenção é melhorar a qualidade da aprendizagem na educação básica, em consonância com as políticas definidas pela Secretária de Estado de Educação (SED).

Segundo o projeto, a fundação será integrada à Administração Indireta do Poder Executivo Estadual, dotada de personalidade jurídica de direito público, sem fins lucrativos e de interesse coletivo. A organização se dará por estatuto, com patrimônio próprio, autonomia administrativa e financeira, com sede e foro em Campo Grande, vinculada à SED.

Confira as demais matérias relatadas pelos deputados Gerson Claro (PP), Barbosinha (DEM), Eduardo Rocha (MDB), Professor Rinaldo (PSDB) e Evander Vendramini (PP), durante a reunião virtual desta quarta-feira (7).

Pareceres favoráveis

Projeto de Lei 56/2021 modifica dispositivos das normas que tratam do Código de Organização e Divisão Judiciárias (CODJ); da Coordenadoria das Varas de Execução Penal (Covep); e do Plano de Cargos, Carreira e Remuneração do Quadro de Pessoal do Poder Judiciário de MS.

Também do Judiciário, o Projeto de Lei 57/2021 modifica dispositivos da Lei 1.511, de 5 de julho de 1994 (CODJ), que tratam do Tribunal do Júri. A proposta visa adequar a norma às alterações legislativas promovidas no Decreto-Lei 3.689, de 3 de outubro de 1941 (Código de Processo Penal), e à necessidade de realização de maior número de reuniões do Tribunal do Júri.

Do deputado Lucas de Lima (Solidariedade), o Projeto de Lei 241/2020 altera a Lei 2.990, de 10 de maio de 2005, que sistematiza a Posse Responsável de Cães e Gatos no Estado, autorizando o Poder Executivo a incluir na grade curricular de ensino fundamental da rede pública e privada o tema “Educação em Direito Animal”.

Projeto de Lei 296/2019, do deputado Barbosinha, autoriza os órgãos de Segurança Pública do Estado a alienarem, por venda direta a seus integrantes, as armas de fogo de porte por eles utilizadas quando em serviço ativo, por ocasião de sua aposentadoria ou transferência para a inatividade.

Do deputado Marçal Filho (PSDB), o Projeto de Lei 31/2021 institui, em Mato Grosso do Sul, a Campanha de Prevenção ao Desaparecimento de Crianças, a ser realizada, anualmente, de 25 a 31 de março.

Projeto de Lei 29/2021, do deputado Renato Câmara (MDB), atualiza a Lei 4.409 de 2013, ao acrescentar ao Calendário Oficial de Eventos do Estado a Semana Sul-Mato-Grossense do Leite.

Do deputado Jamilson Name (sem partido), o Projeto de Lei 36/2021 altera a redação da Lei 5.633/2021, determinando a divulgação da proibição de qualquer tipo de trabalho exercido por crianças e adolescentes com menos de 16 anos.

Pareceres contrários

Projeto de Lei 7/2021, do deputado estadual Antônio Vaz (Republicanos), que assegura a realização, em até 30 dias, dos exames destinados à comprovação de doença neoplásica, através do Sistema Único de Saúde (SUS), recebeu parecer pela não tramitação, pois segundo a CCJR trata-se de matéria reservada à União.

Também por invadir a competência privativa da União, o Projeto de Lei 24/2021, do deputado Capitão Contar (PSL), que dispõe sobre medidas para realização da prova de vida perante às instituições financeiras, foi arquivado pela comissão.

Projeto de Lei 16/2021, do deputado Lucas de Lima, que dispõe sobre a garantia de prioridade de tramitação dos procedimentos investigatórios que visem à apuração e responsabilização de crimes dolosos e culposos com resultado de morte, inclusive na modalidade tentada, que tenham como vítimas crianças e adolescentes, recebeu parecer contrário por conter vício de inconstitucionalidade.

Do deputado Lidio Lopes (PATRI), o Projeto de Lei 238/2020, que trata sobre a substituição do índice de reajuste de correção monetária das obrigações contratuais de consumo em Mato Grosso do Sul, foi arquivado por ser tema de matéria exclusiva da União.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também