Treinamento em primeiros-socorros é obrigatório para profissionais que atuam em estabelecimentos de ensino e recreação

Brasil tem média de 4 mil mortes de crianças, por acidentes que poderiam ser evitados com treinamento.

Onde há crianças, há também o olhar atento e preparado dos adultos. É isso que as mantém em segurança. Mas, nem sempre é assim e tragédias irreparáveis acontecem. De uma delas nasceu a Lei Lucas (Lei Nº 13.722), que estabelece a obrigatoriedade da “capacitação em noções básicas de primeiros socorros de professores e funcionários de estabelecimentos de ensino públicos e privados de educação básica e de estabelecimentos de recreação infantil”.

O nome da Lei é uma homenagem ao pequeno Lugas Begalli, de 10 anos, que durante uma excursão com a escola se engasgou ao comer um cachorro-quente e acabou morrendo por asfixia, enquanto nenhum dos profissionais que o acompanhava estava habilitado para prestar os primeiros-socorros. A Lei Lucas é, também, uma resposta à batalha da mãe, Alessandra Begalli, que desde o acidente seguiu brigando para implantar a obrigatoriedade do treinamento, para evitar que mais crianças sejam perdidas.

Obrigatória desde o ano de 2019, a Lei tem como objetivo aumentar a segurança de crianças e adolescentes dentro do espaço escolar ou recreativo, por meio da capacitação dos profissionais que atuem nesses estabelecimentos. No Brasil, aproximadamente 4 mil crianças morrem anualmente por conta de algum tipo de acidente para o qual faltam os primeiros-socorros adequados.

Em Campo Grande, é possível realizar o curso na modalidade In Company, no Instituto de Qualificação para profissionais da área da Saúde, Core Help. Com conteúdo teórico e prático, o curso tem como objetivo capacitar os profissionais da educação para lidarem com situações de emergência, como engasgos, afogamentos, queimaduras, fraturas e minimizem os danos desses acidentes, até a chegada do socorro especializado.

“A Core Help foi criada com a missão de ensinar a salvar vidas, orientar e preparar os profissionais para situações de urgência é uma obrigação. Por isso, o treinamento foi desenvolvido com muito cuidado, por uma equipe sensível e preparada. Como profissional e como pai, entendo que essa é uma capacitação que norteia inclusive as minhas decisões quando preciso escolher os locais que meu filho frequenta. A segurança das nossas crianças é primordial”, desataca o médico Luiz Gustavo Orlandi, diretor da Core Help.

Outras Opções de Cursos

Com uma ampla lista de treinamentos práticos na área de saúde, direcionados para os profissionais em nível técnico e superior, a Core Help oferece qualificação, inclusive, em áreas como urgências traumáticas e cardiológicas, na modalidade “In Company”, que são capacitações com demandas específicas para empresas ou grupo fechado de alunos. Em sua equipe estão profissionais de especialidades médicas, enfermeiros com experiência em áreas críticas e não críticas e instrutores que obedecem a um sistema rigoroso atualização constante.

Serviço

Empresas e profissionais da área podem consultar todas as opções no site: https://www.corehelp.com.br/, nos canais no Facebook e Instagram e pelos telefones: (67) 3253-4096 | (67) 67 98137-4195.

Informações para a imprensa

Para mais informações sobre treinamentos ou pautas relacionadas à saúde, falar com Thay Barboza | Head de Relacionamento e Influência da Rise Marketing: (67) 98428-4164.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também