SANTA CASA COMPARTILHA KNOW-HOW EM IMPORTAÇÃO DE MEDICAMENTOS COM HOSPITAIS DO ESTADO

Desde o início da pandemia global pelo novo coronavírus em 2020, houve um aumento expressivo no consumo de medicamentos no hospital, principalmente dos sedativos, bloqueadores neuromusculares e anestésicos. Aliado ao alto preço deles na indústria farmacêutica outra dificuldade foi adquiri-los para manter os estoques. A saída encontrada pela Santa Casa de Campo Grande foi buscar no exterior, e assim tornou-se modelo para outros hospitais no Estado que atendem pelo Sistema Único de Saúde (SUS), no processo de importação.

O primeiro passo foi a regularização dos documentos e a recuperação do registro da Instituição na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), para poder realizar cotações e compras no exterior. Outro processo, foi o cadastro na Receita Federal para viabilizar a entrada dos produtos e, depois, na Secretaria de Estado de Fazenda (SEFAZ), a liberação da guia para recebimento de mercadoria estrangeira. Com isso, o hospital garantiu a recente aquisição de 15 mil medicamentos que fazem parte do kit intubação, e já está fazendo cotação para uma nova compra.

O diretor administrativo e financeiro da Santa Casa, João Carlos Marchezan, explicou que o processo é fácil e que após a autorização na Anvisa as negociações são mais resolutivas. “Com essas duas ferramentas nós conseguimos importar medicamentos do exterior, coisa que estava sendo impossível fazer no Brasil devido ao alto custo e falta deles no mercado. Agora estamos compartilhando o caminho das pedras no processo de aquisição aos demais hospitais para que eles também consigam, já que falta de medicamentos é de nível nacional, e os insumos é uma necessidade de todos”, destacou.

Com a experiência, a Santa Casa iniciou junto a alguns hospitais, discussões para formação de um Pull/consórcio para adquirirem medicamentos do kit intubação por meio de uma nova importação. Essa iniciativa ocorrerá desde que a Secretaria de Estado de Saúde (SES) indique de forma legal a realização da entrada e o repasse dos medicamentos à todas as instituições.

Por ASCOM Santa Casa de Campo Grande 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também