Salões de beleza investem em biossegurança e atendimento em domicílio para manter clientela

Especialista do Senac EAD destaca que os cuidados já adotados antes da pandemia foram reforçados para garantir a retomada das atividades

O setor de serviços representa 70% do Produto Interno Bruto (PIB)* nacional e foi um dos mais impactados pela crise sanitária do novo coronavírus. Os salões de beleza, incluídos nesse segmento, registraram prejuízos expressivos em razão do fechamento de estabelecimentos, em todas as regiões brasileiras.

Uma pesquisa realizada pela empresa Beauty Fair** em 2020, com profissionais e empresários do ramo, revelou que 11% dos participantes disseram que os salões em que trabalhavam encerraram seus atendimentos permanentemente, enquanto 22% aguardavam a retomada das atividades presenciais.

O atendimento em domicílio foi a alternativa encontrada pelos trabalhadores dos salões de beleza para manterem a renda mensal, já que a maioria recebe por produtividade. A mudança na prestação de serviços foi aprovada pela maioria da população, conforme observado no aplicativo de contratação de serviços GetNinjas*** que identificou um crescimento de 54% (comparativo em 2019 e 2020) nas solicitações de serviço para cabeleireiros, manicures e pedicures.

Na avaliação da docente nos cursos de beleza do Senac EAD, Renata Camargo Martimiano, as ações de biossegurança para os salões de beleza já são cumpridas, tendo em vista as exigências específicas da Vigilância Sanitária.

“Cuidados com a desinfecção e higiene dos locais, uso de Equipamentos Individuais e Coletivos de Segurança (EPIs e EPCs) são fiscalizados com frequência pelos órgãos responsáveis. Dessa forma, os novos protocolos adotados contribuíram para aumentar a segurança de funcionários e de clientes”, argumenta a especialista.

As recomendações preventivas adotadas no cotidiano dos salões de beleza incluem: agenda com maior escalonamento de tempo no atendimento (para evitar espera e aumento no número de pessoas no espaço), intensificação do uso e descarte de equipamentos de proteção (máscaras, aventais e luvas descartáveis), manter o local arejado, esterilização e higienização constantes.

Serviços mais solicitados

Na fase mais rigorosa do isolamento social, com o fechamento dos estabelecimentos, muitas pessoas tiveram que se adaptar aos cuidados estéticos ou ainda aguardar o retorno das atividades presenciais. Renata destaca que os serviços considerados mais urgentes pelos clientes foram: cortes masculinos, retoque de raiz em coloração, sobrancelha, depilação e manicure. “Esses procedimentos representam a linha de frente dos serviços de salão de beleza, e mesmo no trabalho remoto ou sem eventos sociais, os clientes fazem questão de mantê-los”, acrescenta.

Em contrapartida, estimuladas por conteúdos e dicas de ‘faça você mesmo’, muitas pessoas decidiram realizar em casa alguns procedimentos e tiveram resultados negativos. “As piores experiências citadas pelos profissionais de beleza foram observadas em cortes masculinos, franjas, colorações e manicure. Os clientes chegaram aos salões procurando conserto para as situações elencadas”, destaca a docente do Senac EAD.

Retomada das atividades

A abertura dos estabelecimentos está cumprindo as legislações específicas de cada região, como a redução no número de atendimentos e horário. Esse cenário impacta diretamente no caixa dos salões de beleza e nos ganhos mensais dos colaboradores.

De acordo com a especialista, para suprir a diminuição no número de clientes, foram intensificadas ações como vendas de produtos para manutenção da beleza, além de promoções e brindes para auxiliarem na retomada da clientela. “Seguir com muita responsabilidade todos os protocolos de segurança estipulados pelos órgãos de saúde é a principal forma de continuarmos trabalhando, ainda que de maneira lenta e progressiva”, reforça.

Renata acrescenta que as redes sociais tiveram e continuarão a ter grande utilidade para os salões de beleza, por isso devem ser utilizadas como ferramentas de apoio na divulgação dos serviços prestados por empresas e profissionais autônomos.

“O espaço proporcionado em ambientes virtuais foi muito importante no período de fechamento dos empreendimentos. Inicialmente, com vendas de produtos cosméticos e cursos de atualização profissional. Na fase atual, os profissionais podem divulgar informações de atendimento e a agenda da equipe, além de planejarem promoções, lives e sorteios. Essas postagens e a interação com os clientes podem ser muito positivas nesse período de retomada do trabalho”, conclui.

Fontes: *Pesquisa Central Brasileira do Setor de Serviços (Cebrasse) – https://cratoscomunicacao.com.br/clientes/cebrasse/2020.05.12/Pesquisa%20CEBRASSE%202020.pdf

**Beauty Fair – https://www.beautyfair.com.br/pesquisa-revela-impacto-da-pandemia-para-profissionais-de-beleza/

***GetNinjas – https://www.getninjas.com.br/

Sobre o Senac EAD

Com mais de 70 anos de atuação em educação profissional, o Senac foi pioneiro no ensino a distância no Brasil. A primeira experiência nesta modalidade se deu em 1947 com a Universidade do Ar, em parceria com o Sesc, que ministrava cursos por meio do rádio.

A partir de 2013, com o lançamento do portal Senac EAD, a instituição ampliou a sua atuação em todo o país. Hoje, oferece um amplo portfólio de cursos livres, técnicos, de graduação, pós-graduação e extensão a distância, atendendo todo o Brasil e apoiados por mais de 350 polos presenciais para avaliações.

Acesse a programação completa de cursos do Senac EAD em www.ead.senac.br. Há também uma programação diversificada de cursos presenciais que pode ser conferida em https://www.senac.br/ .

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também