‘Revolução verde’ na agricultura é tema de capacitação gratuita do Senar/MS

A sustentabilidade do Sistema de Plantio Direto faz parte da programação do curso.

A terra de tom avermelhado, com poucos nutrientes, alto nível de acidez, elevadas temperaturas e umidade são algumas características do solo no cerrado que, alguns anos atrás, poderiam comprometer o desenvolvimento da atividade agrícola. Com a tecnificação do campo, a exemplo de sistemas de irrigação e plantio direto, o solo está cada vez mais produtivo. Este é o assunto da editoria #EducaçãonoCampo desta quarta-feira (28). 

“Os agricultores sul-mato-grossenses são, na sua maioria, adeptos à produção de grãos com o plantio direto. A adoção do SPD [Sistema de Plantio Direto], também conhecido como ‘revolução verde’, dá maior segurança do início ao fim da safra”, explica o instrutor do Senar/MS, Valdemir Barreto.

Além de garantir maior rentabilidade com a diversificação do cultivo, entre gramíneas e leguminosas, a rotação de culturas com o SPD tem efeito na quebra do ciclo das espécies de plantas daninhas, doenças e pragas. “Existe uma competição favorável entre as culturas e as plantas invasoras pelos fatores de produção como água, luz, nutrientes e espaço físico”, detalha.

Para quem pretende aderir ao sistema na propriedade, o primeiro passo é realizar um mapa de fertilidade com precisão e operações de construção do perfil do solo. “É importante planejar a diversificação de espécies a serem introduzidas nos sistemas da formação de palhada, optando por plantas com grande volume de biomassa, como braquiárias e milheto”, acrescenta.

O conceito deste método faz parte da programação do curso Sistema de Plantio Direto oferecido gratuitamente pelo Senar Mato Grosso do Sul. Acesse http://senarms.org.br/cadeia/graos e confira as opções de capacitação nesta cadeia produtiva.

Fonte: Assessoria de Comunicação do Sistema Famasul – Ellen Albuquerque

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também