Reeducandos indígenas e idosos são imunizados contra Covid-19 em presídios de Amambai e Cassilândia

Homens em situação de prisão em regime fechado nas unidades penais de Amambai e Cassilândia foram vacinados contra o coronavírus. Ao todo, 38 internos receberam a primeira dose, sendo 25 indígenas e 13 idosos, enquadrados no grupo prioritário local.

A ação foi organizada e executada pelas secretarias municipais de saúde e contou com apoio da Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen), por meio da direção e a Equipe de Saúde dos presídios.

Representando mais de 13% da massa carcerária do Estabelecimento Penal de Amambai, todos os detentos indígenas foram imunizados. “Essa iniciativa é muito importante, justamente por terem em sua grande maioria, problemas respiratórios, principalmente por conta das condições que vivem desde pequenos nas aldeias”, informa o diretor da unidade, Alexandre Ferreira de Souza.

Além dos 25 internos indígenas vacinados, também foram imunizados mais três idosos. Na unidade, apenas um interno contraiu o coronavírus desde o início da pandemia e já se encontra curado, após receber o devido tratamento.

Em Cassilândia, 10 presos idosos já foram imunizados

Já no Estabelecimento Penal de Cassilândia, dez presos acima de 60 anos receberam a vacina, dentre eles, nove possui algum tipo de comorbidade, como pressão alta, diabetes, entre outros.

Para o diretor do presídio, José Carlos Marques, o início da vacina entre os detentos vai contribuir na maior proteção aos apenados, bem como, dos servidores penitenciários e colaboradores. “Atualmente, todos os nossos profissionais já se encontram imunizados e a vacina se estendendo aos internos é extremamente positivo para o sistema penitenciário e para a saúde pública de Mato Grosso do Sul”, acrescenta.

Conforme a chefe da Divisão de Assistência à Saúde Prisional, Maria de Lourdes Delgado Alves, a iniciativa segue o Plano Nacional de Vacinação. “A imunização destes grupos já é considerada prioritária e deve ser estendida a todas as unidades penais do estado, assim como, os presos em medidas de segurança, doentes mentais e com comorbidades. A previsão é que os presos sejam vacinados juntamente com o público-alvo da população de cada município”, informou.

Tatyane Santinoni, Agepen

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também