Mulheres ganham mais espaço na Medicina: em MS, elas já correspondem a 42% da quantidade total de médicos

A médica Jessica Corrêa Rosa Mustafá, 33 anos, é um dos rostos do novo cenário da Medicina no Brasil. Há sete anos se dedica à carreira de dermatologista em Campo Grande (MS) e integra hoje os 42% de mulheres do total de 7 mil profissionais no Estado. No Brasil, esse índice corresponde a 46,6%. A expectativa de aumento nessa participação nos próximos anos é grande.  

Jessica é mais uma das profissionais que atuam em uma área cada vez mais feminina. Entre os mais jovens, as mulheres já correspondem a 58,5% no grupo até 29 anos e 55,3% na faixa entre 30 e 34 anos, revela o Estudo Demografia Médica no Brasil. Em meio às consultas e a carreira de docente do curso de Medicina da Uniderp, a médica se dedica à maternidade. Realizou o sonho de ser mãe com o nascimento de Miguel, 4 anos, e afirma não se enxergar fazendo outra coisa na vida. “Conciliar a profissão com a maternidade e rotinas da casa é tarefa para super mulheres e super mães. Hoje, sou eternamente satisfeita e grata com minha escolha profissional”, revela. 

A médica optou pela Dermatologia mas especialidades como clínica geral, pediatria, medicina da família, ginecologia e obstetrícia estão entre as mais escolhidas. Em 2021 e com o aumento da procura por profissionais de saúde, em razão da pandemia de Covid-19, Jessica é o perfeito retrato dessa nova geração, que contribuiu no incremento da participação feminina. Na década de 60, havia apenas 13% de mulheres médicas, quando chegou ao seu menor número. Em 2016, o número de registros médicos no Brasil por mulheres atingiu 54,9%. Nesse ritmo de crescimento, as faculdades de Medicina estão cada mais atrativas para jovens mulheres, como Jessica, que escolheram a Medicina como paixão e profissão.  

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também