Kit intubação – Cooperativa médica adota medidas emergenciais para otimizar uso de medicamentos em falta no mercado

Importação foi uma das alternativas para não ficar sem estoque

Há vários meses Estados do Brasil têm sofrido com a falta de medicamentos necessários para “intubar” pacientes com Covid-19. Considerando o aumento significativo de casos da doença, com um consumo expressivo de medicamentos e insumos, o resultado é a escassez dos mesmos no mercado e a dificuldade de compra nas quantidades necessárias.   

Diante deste cenário, a Unimed Campo Grande tem adotado medidas importantes e emergenciais para racionalizar o uso do chamado “kit intubação”.  

Um dessas iniciativas e que merece destaque, foi o desenvolvimento de um projeto inovador em conjunto com médicos intensivistas, que tem ajudado a reduzir o consumo de medicamentos essenciais para o tratamento de pacientes em ventilação mecânica. O protocolo utiliza dois tipos de monitores de alta especificidade e sensibilidade, tornando possível monitorar e equalizar a quantidade de medicamentos, otimizando assim o consumo.   

Os aparelhos fazem a monitorização do bloqueio neuromuscular e dão com exatidão a quantidade necessária de relaxante muscular que cada paciente precisa. Com isso, é possível reduzir as doses e aumentar o tempo de duração da medicação no organismo desse paciente.  

Com a infusão contínua de fármacos anestésicos adjuvantes, que nesse caso consiste na associação de medicamentos, os profissionais da linha de frente no combate à Covid-19 estão conseguindo reduzir o uso de bloqueadores neuromusculares, hipnóticos, sedativos e hipnoanalgésicos.  

“Esse protocolo veio como uma luz para os profissionais que, incansavelmente, têm se dedicado desde o início da pandemia a salvar vidas”, destacou o diretor-presidente da Unimed Campo Grande, Dr. Maurício Simões Corrêa.  

Paralelamente a isso, a cooperativa médica se antecipou e importou medicamentos, sendo que parte deles foi entregue ontem à tarde, e a expectativa é que a outra remessa chegue já na próxima semana. Na semana passada, uma empresa fornecedora do Hospital Unimed CG entregou uma pequena quantidade dos mesmos para atender à demanda dos pacientes.  

Ainda no intuito de não deixar faltar o “kit intubação”, na noite de ontem (15) a cooperativa médica realizou uma live especial com o tema “Recomendações para Uso Racional de Fármacos para Analgesia, Sedação e Bloqueio Neuromuscular em Terapia Intensiva Durante Covid-19”. Voltada para médicos e profissionais da saúde convidados, como enfermeiros e fisioterapeutas, que compõem equipes multidisciplinares de unidades hospitalares, a transmissão contou com a participação de vários estados brasileiros, já que o tema é de interesse nacional.  

“Esse protocolo de racionalizar o uso dos medicamentos tem contribuído muito com o tratamento de pacientes graves, por isso decidimos compartilhar o conhecimento com outros colegas médicos e com equipes multidisciplinares de fora da nossa instituição”, destacou Dr. Maurício.  

Depois da implantação do novo projeto houve uma redução de cerca de 75% no uso de bloqueadores neuromusculares, além de 50% em média, dos demais medicamentos, hipnóticos, sedativos e hipnoanalgésicos, responsáveis por manter o paciente dormindo e por fornecer analgesia (controle da dor).  

“Nesse momento crítico que estamos atravessando frente à pandemia precisamos ser racionais e correr contra o tempo para suprir as demandas dos pacientes e continuar salvando vidas, que é o nosso maior propósito”, concluiu o diretor-presidente.  

Comunicação Unimed Campo Grande

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também