Dengue e Chikungunya: Secretaria de Saúde de Selvíria faz novo alerta para o aumento de casos no município

A Prefeitura de Selvíria, por meio da Secretaria Municipal de Saúde reforça o alerta para o crescente número de casos de dengue no município. A epidemia causada pelo vetor Aedes Aegypti, tem também afetado toda região, com um grande aumento de registros da doença. Em Selvíria, somente nos três primeiros meses deste ano, os casos já são quase que o triplo do que todo o ano de 2020.

De acordo com informações da pasta, de janeiro deste ano e até esta ultima segunda-feira (19/04) foram registrados 134 casos positivos de dengue em Selvíria, com 165 notificados e 13 de casos de chikungunya. Em 2020 foram registrados 47 casos de dengue e 0 (zero) de chikungunya.

Segundo informações da Vigilância Sanitária, estão sendo identificados em pacientes do município dois tipos do vírus da dengue, transmitidos pelo vetor Aedes Aegypti: sorotipos Den-1 e o Den-2. O mosquito é o transmissor de diversas doenças, entre elas a dengue, zika e chikungunya.

“Deixamos esse alerta à todos, e lembramos que a melhor forma de evitar a proliferação do mosquito é acabar com os criadouros. Portanto, manter o quintal sempre limpo, e eliminar possíveis focos do mosquito é de suma importância. Estamos ainda no enfrentamento da pandemia do COVID-19, e não podemos deixar que mais uma doença venha afetar nossa população. Vamos começar com os cuidados dentro de casa”, destacou o secretário de Saúde, Edgar Barbosa.    

Ações de combate ao mosquito

Em meados de fevereiro, março e também nesta ultima semana de abril, houve pulverização de inseticida (fumacê) com um veículo, em todo o município e bairro Véstia, no período da manhã e da tarde, a fim de exterminar o mosquito adulto contaminado. A ação acontece por meio de parceria entre a Prefeitura e Governo do Estado.

Será feita uma avaliação técnica para avaliar o retorno e necessidade da pulverização do inseticida. Durante o fumacê, é importante deixar as janelas e portas abertas durante a realização do trabalho. A ação do fumacê não apresenta perigo a saúde, entretanto, a recomendação para quem possui pássaros em gaiolas, é protegê-las com um tecido, e lavar com água e sabão os bebedouros de animais após a aplicação do inseticida.

As Secretarias de Saúde e de Obras e Infraestrutura, também tem realizado um constante trabalho para a limpeza das vias públicas da cidade e terrenos baldios. Trabalhos como borrifação de inseticida com bomba costal em locais com possíveis focos, também estão sendo realizados.

Sintomas das doenças

Em relação à dengue, os sintomas são febre alta, enxaqueca, dor atrás dos olhos, perda de apetite, náuseas e vômitos, tontura, moleza e extremo cansaço, dor no corpo e dor no abdómen.

Na chikungunya deve-se ficar atento aos sintomas, como fortes dores nas articulações, febre, dor nas costas, fadiga, náuseas, vômitos, dor de cabeça, dores musculares (mialgias) e inchaço articular bilateral.

Já os sintomas comuns da zika são manchas avermelhadas pelo corpo, dor muscular, dor de cabeça, dor atrás dos olhos, conjuntivite, diarreia (pouco comum), constipação (pouco comum), pequenas úlceras na mucosa oral (pouco comum).

A Secretaria da Saúde orienta que, na presença de sintomas semelhantes aos citados acima, o paciente procure por orientação médica. É muito importante fazer repouso e ingerir bastante líquido durante os dias de manifestação de sintomas.

Para denúncias sobre possíveis criadouros do mosquito, ou maiores informações disque: (67) 3579 1650 – Controle de Vetores e Endemias, localizado na avenida Profª Marilucia Torres Laluce (antiga Goiás), ao lado da escola estadual Ana Maria de Souza.

Por: Assessoria de Comunicação.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também