Batayporã irá vacinar gestantes, puérperas, pessoas com deficiências permanentes, trabalhadores da educação e limpeza pública

Município recebeu 295 doses de AstraZeneca e organiza chamado do público-alvo para comparecer às salas de imunização das ESF Santa Luzia e Santo Antônio

Após receber mais 295 doses do imunizante AstraZeneca, Batayporã passa a ampliar a cobertura vacinal contra a Covid-19. Essa é a 15ª remessa e foi entregue pela Secretaria de Estado de Saúde de Mato Grosso do Sul (SES-MS) na noite da última quinta-feira (29). Agora, o município inicia a imunização de pessoas com 54 anos ou mais que possuem comorbidades incluídas como prioridade pelo Ministério da Saúde, gestantes, puérperas (mulheres com até 45 dias de pós-parto), pessoas com deficiências permanentes, trabalhadores da educação e da limpeza pública, além de finalizar a vacinação de idosos de 60 anos.

Conforme explicou a enfermeira coordenadora da imunização, Ângela Rocha, o quantitativo de vacinas exige um gerenciamento por etapas. As gestantes e puérperas serão imunizadas após a conclusão do público de 60 anos. Já o público com deficiências permanentes terá prioridade entre os estudantes da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae). Pessoas de 54 anos ou mais com comorbidades necessitam apresentar laudo médico atualizado. Entre os profissionais da educação, serão vacinados primeiro os de 55 a 59 anos e, da limpeza pública, trabalhadores com 55 anos.

A organização da estratégia é pautada nas resoluções da SES-MS e no levantamento da Rede Municipal de Saúde. Os grupos serão chamados pelos agentes comunitários de saúde a fim de evitar aglomerações nas salas de vacinas das Estratégias de Saúde da Família (ESF) Santo Antônio e Santa Luzia, exceto as pessoas que não tiverem condições de locomoção. Estas irão receber o imunizante em domicílio.

“É por isso que continuamos pedindo à população para que mantenha os dados atualizados. É só levar o cartão SUS, CPF e comprovante de residência na secretaria de Saúde. Isso nos ajuda a fazer uma busca precisa no sistema e sempre incluir as pessoas que possam ter ficado de fora da vacinação por algum motivo”, ressaltou a gestora da pasta, Letícia Sanches.

Pacientes com comorbidades que já são acompanhados pela rede podem solicitar o laudo médico à ESF de referência. É necessário estar incluído na seguinte lista de prioridades:

diabetes melitus;

pneumopatias crônicas graves;

hipertensão arterial resistente;

hipertensão arterial estágio 3;

hipertensão arterial estágios 1 e 2 com LOA e/ou comorbidade;

insuficiência cardíaca;

cor-pulmonale e hipertensão pulmonar;

cardiopatia hipertensiva;

síndromes coronarianas;

valvopatias;

miocardiopatias e pericardiopatias;

doenças da aorta, dos grandes vasos e fístulas arteriovenosas;

arritmias cardíacas;

cardiopatias congênitas no adulto;

próteses valvares e dispositivos cardíacos implantados;

doença cerebrovascular;

doença renal crônica;

imunossuprimidos;

anemia falciforme;

obesidade mórbida;

síndrome de down.


Outra observação importante é sobre a imunização das gestantes. Mulheres que receberam a vacina contra a gripe devem aguardar pelo menos 15 dias para receber a dose contra a Covid-19. Nesses casos, as vacinas ficam reservados para garantir a cobertura.

D2 de CoronaVac

Não houve envio de doses de CoronaVac para segunda aplicação (D2). A medida acomete os 79 municípios de MS. Segundo a SES, o atraso se deve aos transtornos ocasionados pela dificuldade do Instituto Butantan, fabricante da vacina, importar o Insumo Farmacêutico Ativo (IFA). Com isso, o Plano Nacional de Imunização teve cronograma alterado.

Em nota técnica, a SES-MS informou que “tão logo, o Ministério da Saúde adquira quantitativo suficiente, enviará as doses necessárias para a finalização de todos os esquemas vacinais com a administração da segunda dose (D2)” e “o atraso no envio das doses da Coronavac não compromete a eficácia da vacina nos pacientes”.

Covid-19

De acordo com o boletim epidemiológico desta sexta-feira (30), Batayporã acumula 641 casos confirmados de Covid-19. Destes, 19 estão ativos e ainda há 20 casos suspeitos. Os números, entre outros fatores, posicionam o município no risco médio – bandeira laranja – no mapa do Programa de Saúde e Segurança na Economia (Prosseguir).

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também