Com liberação de área pela União, MS poderá ficar entre os cinco maiores produtores de peixe do Brasil

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) liberou por meio de cessão onerosa a produção de tilápia em lago da hidrelétrica de Porto Primavera, na cidade de Brasilândia. Com esta medida, Mato Grosso do Sul deve ficar entre os cinco maiores produtores de peixe do Brasil.

A assinatura desta autorização ocorreu nesta sexta-feira (04), durante solenidade de entrega de casas em Campo Grande. O ato foi feito pelo secretário nacional de Pesca e Aquicultura, Jorge Seif Júnior, junto com a ministra da Agricultura, Tereza Cristina.

“Cedemos um espaço físico da União em lago de hidrelétrica, para produção de tilápia em MS, o que permite que o empresário que licitou esta área possa produzir pescado neste local e assim aumentar sua competitividade”, afirmou o secretário Nacional de aquicultura.

Ele destaca que a medida vai alavancar a produção no Estado, que poderá sair da 11° posição para ficar entre os cinco primeiros. “Mato Grosso do Sul agora vai passar de 60 mil toneladas por ano e vai chegar entre os cinco maiores produtores do País. Isto gera empregos e renda para toda região”.

A ministra Tereza Cristina disse que esta cessão onerosa vai gerar muitos empregos para Mato Grosso do Sul. “Irá ampliar a produção de pescado para uma região importante do Estado, que é a Costa Leste. Isto representa desenvolvimento da economia local”.

O governador Reinaldo Azambuja ressaltou que a liberação de área federal permite que a iniciativa privada utilize a lâmina d´água que é abundante no MS, para ampliar a produção de tilápia no Estado. “Podemos sair de 19 mil toneladas, para mais de 60 mil toneladas. Isto gera empregos, crescimento econômico e oportunidades”.

Expansão

O titular da Semagro (Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), Jaime Verruck, disse que a medida vai desenvolver ainda mais a produção de peixe no Estado, sendo autorizado nesta primeira assinatura o uso de mais de 120 hectares que são de domínio da União.

“Foram autorizados mais de 120 hectares, podendo a chegar a 500 hectares para produção. Isto representa empregos na região, aumento da produção e ainda consolida a nossa meta, que é final de todo este processo estar entre os cinco maiores produtores de peixe do País”, descreveu o secretário.

Verruck destacou que esta evolução no setor tem relação direta com o programa estadual “Propeixe”, que tem o objetivo de aumentar a produção e exportação do produto no Estado. O programa ainda prevê o apoio à viabilidade de crédito e recursos financeiros ao setor e premiação para aos produtores.

Leonardo Rocha, Subcom

Foto: Chico Ribeiro

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também