Esposa fica chamando a vítima: 'Rafa, me abraça'

Autor: Por Graziela Rezende

16.05.2019

Três dias após o assassinato do motorista de aplicativo Rafael Baron, de 24 anos, em Campo Grande, a cunhada da vítima, Karolinne Pereira da Silva, de 21 anos, disse que a noite anterior foi "a pior até agora" para a esposa e o filho de 2 anos. Apontado como autor do crime, Igor Cesar de Oliveira, de 22 anos, foi preso em uma casa na região central esta manhã (16) e reforçou o motivo passional.

"O assassino vai fazer de tudo para falar que ele [vítima] foi o culpado. Só que morto não fala. O meu cunhado estava feliz, realizando os sonhos dele. Desde que chegou em Campo Grande, ele dizia que iria melhorar a situação [financeira]. Só que esse monstro acabou com os projetos dele e precisa pagar pelo que fez. A minha irmã passou a noite delirando, chamando por ele. Ela dizia: Rafa, me abraça", afirmou ao G1 Karolinne.

Além da esposa, a cunhada alega que o sobrinho também ficou no portão chamando pelo pai. "O menino ficou lá esperando por ele, escutando o barulho e chegou a se esconder para ver o pai chegar. É horrível ver tudo isso. E o Rafa pegou um acerto, entrou para trabalhar na Uber como ele tanto queria e tudo foi interrompido. Eu ainda não acredito".

Em poucas palavras, a esposa dele apenas disse que "está sem chão agora".

Depoimento do suspeito
Igor comentou que a vítima foi "ousado e abusado" com a mulher dele. O delegado Ricardo Meirelles Bernardinelli, responsável pelas investigações, disse que esta foi a primeira versão do suspeito, assim que flagrado em uma casa na região central.

"Houve uma primeira conversa informal e ele deu esta versão, falando outras palavras e alegando uma crise de ciúme. Agora, ele será formalmente ouvido no inquérito. Ele estava na residência de um dos advogados e nós fizemos uma negociação para cumprir o mandado de prisão contra ele. A versão de descontrole, no entanto, não justifica o crime bárbaro", explicou o delegado.

Já na delegacia, Igor disse que gosta muito da esposa e, por isso, não permitiu que ela fizesse "sacanagens" com ele. Sobre o revólver, de calibre 38, ele disse que adquiriu para "própria segurança", já que teria tido alguns problemas na cadeia.

"Só tinha 2 bala, foi na emoção e eu já disparei. Fiquei cego na hora. Eu peço desculpas para a família, me perdoem de coração, já aconteceu. Eu gosto muito dela [esposa] e ela começou a dar risadinhas e falar de friozinho gostoso", comentou.

Enquanto o suspeito conversava com a imprensa e era formalmente indiciado pelo crime de homicídio qualificado por motivo fútil e impossibilidade de defesa da vítima, centenas de motoristas permaneceram do lado de fora de delegacia. Além de "assassino", eles gritavam palavras como "justiça", "monstro", entre outras.

Vítima foi gentil e fez poucas perguntas, afirma polícia

Conforme a polícia, o motorista de aplicativo foi morto por um motivo banal. Na ocasião, ele retornava de um posto de saúde com a esposa do suspeito grávida, quando o crime ocorreu.

"O motorista viu que ela estava com uma tipoia no braço e perguntou o que tinha acontecido, quando ela esclareceu que foi um acidente e ele então perguntou como tinha sido o acidente. Ela respondeu que estava sozinha, que foi de moto. Isso foi suficiente, segundo nossas testemunhas, para que o autor mudasse o semblante dele e passasse a ter outro comportamento", explicou o delegado.

Rafael foi morto assim que chegou no condomínio em que o casal mora. "Enquanto a mulher fazia o pagamento da corrida, o Igor saiu rapidamente do veículo, pulou a janela do apartamento e já retornou com a arma de fogo, acreditamos que seja um revolver calibre 38 e, sem dar nenhum tipo de chance para a vítima, efetuou dois disparos à queima roupa", completou.

Entenda o caso
Rafael foi atingido por dois tiros. Segundo apurado inicialmente pela polícia, o jovem recebeu uma chamada para buscar um passageiro no condomínio e, ao chegar no local, o pedido foi cancelado. Em seguida, ele foi abordado por um homem e morto.

A informação inicial era de que Rafael teria reagido a um assalto e acelerado o carro. Ele foi atingido por um tiro no pescoço, outro no braço esquerdo e bateu o veículo em outros dois automóveis e uma moto que estavam estacionados.

O Corpo de Bombeiros e o Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu) foram chamados, mas, o jovem morreu no local. O carro dele saiu fumaça na parte do motor e moradores do condomínio tentaram ajudar.

Fonte: G1/MS

Voltar ao Topo

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Envie sua notícia

(67) 99968-0055

© 2019 Diário MS News. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.
Livre reprodução, transmissão ou redistribuição dos conteúdos sem edição. Pede-se a citação do crédito.

Site desenvolvido por: