Quem está na fila de espera do INSS tem direito aos “atrasados”?

Autor: Juliane Penteado Santana

22.02.2021

A coordenadora regional do Insittuto Brasileiro de Direito Previdenciário, especialista na área, Juliane penteado esclarece que “quem está aguardando tem direito a esse “atrasado”, que é calculado a partir da DER (Data de Entrada do Requerimento), o dia em que o trabalhador agendou o pedido de benefício no INSS.
 
O pagamento é feito de uma única vez e vai junto à primeira parcela do benefício, ou da nova renda, já corrigida pelo INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor). Dependendo do tempo de espera, o valor total desses atrasados pode sofrer cobrança de Imposto de renda.

Ela ainda afirma que nesse período de espera é necessário prestar atenção se o INSS não solicita alguma nova documentação, pois há prazo para entrega. “Em caso de mudança da DER para uma mais vantajosa, a nova data passa valer a da mudança, portanto abrindo mão de parte dos atrasados. Um profissional nesse momento é essencial para ver se essa mudança será vantajosa, ou não”, completa.

E quem optou pela antecipação de um salário mínimo do auxílio-doença emergencial?

A especialista esclarece que nesse caso, quem durante a pandemia fez essa opção receberá a diferença do instituto caso tenha direito a um valor maior no benefício e ela será calculada em relação ao valor que foi antecipado, no caso, R$ 1.045,00, pelo total de parcela recebidas. 

Atenção para quem deseja ver no site do Meu INSS se tem direito a atrasados:

- Quem pediu uma aposentadoria ou revisão caso tenha vitória recebe os retroativos. Eles são devidos na concessão quando há demora na resposta, e na revisão quando são calculadas as diferenças entre o que estava sendo pago pelo INSS e o valor correto. No caso das revisões, os atrasados são as diferenças não pagas em até cinco anos antes do pedido. 

- Quem recebeu auxílio-doença de R$ 1.045,00 até o dia 30 de outubro, tem que receber uma diferença do valor, com correção e proporcional ao tempo de parcelas recebidas. Para saber se tem direito, pode consultar pelo aplicativo o no site do Meu INSS ou pelo 135.

- Quem cumpriu uma exigência, pode ter que completar o pedido depois com documentos a mais, solicitados pelo INSS, comunicados ao segurado por carta ou no Meu INSS. 

- Se o trabalhador vai mudar a DER, ou seja, quer fazer a Reafirmação da DER para uma aposentadoria mais vantajosa, ele acaba por abrir mão de parte dos atrasados, uma vez que o INSS conta como data inicial do pedido essa nova Declaração.

Juliane Penteado alerta ainda que para tudo isso, o segurado precisa estar atento a tudo junto ao INSS e em casos mais específicos, o auxílio de um profissional da área previdenciária é indiscutível.

Juliane Penteado Santana é Advogada previdenciarista. Professora. Palestrante. Coordenadora titular e membro da Direção Científica do Instituto Brasileiro de Direito Previdenciário – IBDP pelo Estado de Mato Grosso do Sul e da região do Centro-Oeste. Proprietária do escritório Penteado Santana Advocacia.

Fonte: Insittuto Brasileiro de Direito Previdenciário

Voltar ao Topo

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Envie sua notícia

(67) 99968-0055

© 2019 Diário MS News. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.
Livre reprodução, transmissão ou redistribuição dos conteúdos sem edição. Pede-se a citação do crédito.

Site desenvolvido por: