3ª. via presidencial: possível ou delírio?

Reprodução

PASSO A FRENTE: Eduardo Riedel é o candidato escolhido a dedo para disputar a sucessão estadual. O que se viu nos últimos eventos mostra a disposição de elegê-lo; um nome identificado com a filosofia do atual governo e comprometido em dar continuidade a administração reconhecida dentre as melhores do país, inclusive na política de combate ao Covid 19.

NA ESTRADA: Hoje o Governo surfa colhendo o que plantou. Investe em estradas, pontes, saúde, escolas, emprego, segurança pública, concede auxílio proteção devido a pandemia, antecipa 50% do 13º salario e cria incentivos fiscais. Claro, Riedel é visto sim como co-responsável pelas conquistas e performance da administração. Isso contará muito.

SENSIBILIDADE: O anúncio da construção de um condomínio em Campo Grande com 40 unidades habitacionais aos idosos de baixa renda é uma benção. O formato do empreendimento agrada – um exemplo a ser seguido por outros gestores. A capital envelheceu, idosos perdendo a referência familiar. Aliás, a velhice mostra a frieza da nossa civilização.

UM BRINCO! No início havia gente cética quanto aos resultados do Projeto ‘Reviva Centro’. Parcela do comércio meio contra por motivos óbvios. Agora, esse território central já começa a mostrar resultados e ganhar elogios da maioria, mesmo apesar dos contratempos de circulação de carro e a pé. O futuro fará justiça à gestão municipal pela sua ousadia.

DEPUTADOS & AÇÕES: Paulo Corrêa (PSDB); destacou as ações do Governo no combate a criminalidade; alvo de elogios dos colegas pela sua postura democrática. Zé Teixeira (DEM): pede policiamento intensivo na região do bairro Maria A. Pedrossian; rede de esgoto em 3 bairros de Jatei; atento as reformas do prédio da Casa. José C. Barbosa: elogiou ação policial pela maior apreensão de drogas do país; sugere ao Governo criação de Refis aos devedores veiculares; pede demandas para todo o Estado. Lucas de Lima: participou da entrega dos cartões do programa Mais Social; projeto seu prevê que autores de maus tratos de animais arquem com o seu tratamento. Capitão Contar (PSL):seu projeto mostra a importância da doação da medula óssea no contexto da saúde pública; suas emendas beneficiarão entidades, saúde e educação.

DELÍRIO? A chance de sucesso da 3ª. via presidencial é mínima até aqui. Desde 1984 essa alternativa morreu na praia com Mario Covas (PSB) em 4º lugar e Leonel Brizola (PDT) em 3º. Foram 8 eleições polarizadas. Só mesmo um fato excepcional poderá viabilizá-la. Sacar um nome carismático da cartola não é tarefa fácil. Muita fumaça e pouco fogo.

FRACASSOS: Em 1994 Orestes Quércia (MDB) tentou ser a 3ª. via e só obteve 4,4%, perdendo para Enéas (Prona). Em 1998 foi a vez de Ciro Gomes (PDT) naufragar com 11% dos votos. Em 2002 Garotinho (PSB) (17,9%) a bola da vez – em 2006 Heloisa

Helena (Psol) com 6,9%. Em 2010 Marina Silva (PV) (19,3%) – em 2014 Marina Silva (PSB) com 21,3% . Em 2018 Ciro – 12,5%, seguido de Alckmin com 4,8%. Números convincentes.

COMPLICADO: Em quem votará o eleitor não alinhado a esquerda e a direita e que votou em Bolsonaro? Por várias razões como mostram as pesquisas, ele estaria indeciso à espera de fatos novos. Mas o que esse eleitor acha dos políticos eleitos na ‘onda Bolsonaro’ e que agora borbulham na oposição? Eles terão ‘combustível’ próprio para se reelegerem?

METEÓROS: Ex-senadora Heloisa Helena obteve 6,5 milhões de votos em 2006; não se elegeu vereadora em Maceió; virou assessora do senador Randolpe Rodrigues (Rede-Ap). Marina Silva (PV) era ‘outside’ ambiental e em 2010 chegou a 19,6 milhões de votos. Em 2014 obteve 22 milhões de votos. Mas em 2020, teve o nome retirado do ról das personalidades negras do’ Zumbi dos Palmares’ pela sua contribuição irrelevante à população negra.

FRAGILIZADO: Pré-candidato ao Planalto Ciro Gomes (PDT) perde espaço e cai nas pesquisas. Sua fala agressiva nas entrevistas repetitivas já não atraem. A notícia do leilão de apartamento seu em Fortaleza soou mal junto a opinião pública. A pretensão de se firmar como 3ª. via vai ficando distante. Turrão, não admite que sua vez já passou.

DEPUTADOS EM AÇÃO: Amarildo Cruz (PT): reuniu-se com pescadores da Bacia do Paraná sobre questão hídrica; pede a criação de ferramenta online para acompanhar o credito do índice do ICMS aos municípios; foi à liberação de emendas como sucessor do ex deputado Cabo Almi. Neno Razuk (PTB):quer o direito de acompanhantes aos autistas internados por Covid; disporá 75% do valor das emendas para a saúde em 22 cidades. Antônio Vaz (Rep): Decidido; destinará aos investimentos sociais ( saúde e educação) os recursos da sua emenda parlamentar. Lídio Lopes (Patri); R$1,5 milhão em emendas destinadas à saúde, educação e assistência social; aprovado seu projeto priorizando a vacinação de representantes religiosos contra o Covid. João Henrique (PL): Combativo; seu projeto que proíbe o reboque de veículos na presença do motorista começa a tramitar na Casa.

FADIGA: Também no interior do nosso Estado a tradição familiar de políticos enfraqueceu ultimamente por vários fatores. Gente nova ou estranha a política tomou o poder. É fácil comparar os cenários de ontem e de hoje em várias cidades para sentir que o poder oxigenou ao mudar de mãos. Paranaíba, Três Lagoas, Costa Rica e Nova Andradina, são exemplos.

PROCURA-SE: Quais seriam os nossos atuais políticos e personagens carismáticos? Sabe-se que é bem mais fácil reconhecer alguém carismático do que defini-lo. Mas o carismático tem o dom nato, qualidades excepcionais de seduzir e cativar pela postura e fala. São coisas distintas: o cidadão pode ser bom gestor, sem ser necessariamente carismático.

CARISMA: O ex-presidente Juscelino Kubstschek é exemplo de carisma saudável, assim como John Kennedy, Martin L. King, Bill Clinton, Barack Obama e Steve Jobs Getúlio Vargas? Só populista. Embora de imagem sinistra Adolf Hitler era portador de áurea carismática. Esse exemplo mostra que o dom carismático é complexo e pode ser também nocivo.

DESERTO: Pesquisando o cenário local não detectamos um só personagem que preenchesse os quesitos do carisma elencados pelo sociólogo Max Weber. Nem os ex-governadores Wilson Martins e Pedro Pedrossian, apesar do prestígio conquistado não conseguiram ao longo de suas trajetórias marcantes passar essa imagem de políticos carismáticos. Só de vencedores!

AÇÕES & DEPUTADOS: Marçal Filho (PSDB): Saúde, educação e assistência social receberão a maioria de suas emendas, mas o esporte não foi esquecido. Gerson Claro (PP): prestou contas da presidência da CCJR no 1º semestre: apreciadas 189 matérias; 32 cidades foram beneficiadas pelas suas emendas. Evander Vendramini (PP); atento as queimadas no Pantanal; suas emendas irão para 13 cidades e entidades como a APAE da capital com R$200 mil. Mara Caseiro (PSDB); pede reforma da Escola São José em Cassilândia e do telhado da escola estadual de Campuã; asfalto no Jardim Columbia na capital; Pedro Kemp (PT): critério justo na distribuição de suas emendas para beneficiar as entidades assistenciais, saúde e educação; elogiou o trabalho da mesa diretora da AL.

RESGATE: Nós paulistas comemoramos em São Paulo o 9 de julho como o dia da ‘ Revolução Constitucionalista’. Nunca entendi porque o sul do Mato Grosso, que apoiou solitariamente a causa; e após a criação do MS ignorou a efeméride. Agora o deputado Gerson Claro (PP) propõe instituir a comemoração. Derrota militar que gerou a vitória política com a Constituição de 1934.

SABENDO: A Constituição de 1934foi importante. De espírito liberal previu o voto feminino e obrigatório aos maiores de 18 anos; adotou o sistema com 3 poderes ; o sistema eleitoral com eleições diretas e o voto secreto; a legislação trabalhista com férias, jornadas de trabalho e criação de sindicatos. Por tudo isso ficamos ao lado dos paulistas em1932.

LIÇÕES: Os jovens e oriundos de outros Estados não conhecem o passado que ajudou na criação de MS. A Revolução de 32 foi um episódio importante na vida política da então região Sul do Mato Grosso. Tivemos aqui batalhas sangrentas e até o Governo Provisório do Estado de Maracajú liderado pela figura impoluta de Vespasiano Martins, grande líder.

FICÇÃO: Aguardada como decisiva em 1930 entre as tropas getulistas e o Exercito ali em Itararé ( divisa de São Paulo-Rio), a ‘Batalha de Itararé’ não aconteceu dada a fraca resistência das forças federais. Daí que o jornalista Apparício Torelly passou a usar o cognome ‘Barão de Itararé’ nas suas críticas a Ditadura. Apparício deu então lugar ao personagem Barão de Itararé cujo humor político e elogiado até hoje.

PILULAS DIGITAIS:

Se o Bolsonaro morrer de um forte soluço, o nome seria Solução?!

Nas eleições de 2022 o PT deve deixar de lado o tema corrupção.

O voto deve ser rigorosamente secreto. Só assim afinal o eleitor não terá vergonha de votar no seu candidato. ( Barão de Itararé)

O grande desafio do homem é encontrar diariamente duas meias do mesmo par. (Tusquinha)

A honestidade é uma das piores formas de solidão. (Carlos Castelo)

Negociata é um bom negócio para o qual não fomos convidados. (Barão de Itararé)

Os cubanos já não são tão fidel ao Governo.

Lula está certo! Pancada de polícia cubana não dói – é declaração de amor pelo próximo e pela causa.

O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África. (padre Antônio Vieira)

O luxo do funeral e a suntuosidade do túmulo não melhoram as condições do morto; satisfazem apenas a vaidade dos vivos. (Dante Veoléci)

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também