PMDB e PT podem ficar fora da disputa em Campo Grande

Depois de grandes embates nas ruas entre a militância e nas urnas pelo voto do eleitor, PMDB e PT vivem hoje numa situação semelhante a agonia. Os dois não têm candidato a prefeito de Campo Grande. Um caso inusitado na política de Mato Grosso do Sul para esses partidos, que polarizavam as campanhas eleitorais, seja para prefeitura da Capital ou governo estadual.

O PMDB, como partido de poder, era o centro das atenções e ditava regras para fechamento de aliança.

Sempre estava com palanque lotado de representantes de partidos integrantes de ampla coalizão. Foi também época do PSDB sempre dizer “sim” ao poderoso PMDB. Os tucanos se satisfaziam com um ou dois cargos de primeiro escalão. O principal alvo era controlar a educação.

Hoje, se vê um PMDB acuado e assistindo ao PSDB ganhando força política e conquistando o seu espaço no Estado. Isto porque muitos peemedebistas buscaram abrigo num canto do ninho tucano para sobreviver à decadência do partido depois de duas derrotas eleitorais consideradas fatais – para Prefeitura de Campo Grande, em 2012, e Governo do Estado, em 2014.

A situação do PT é semelhante, apesar de ter lançado o vereador Marcos Alex (PT) como pré-candidato a prefeito em Campo Grande, a direção do PT ainda articula a formação de um bloco de esquerda, com a participação de PDT e PC do B, que pode apoiar o nome do deputado federal, Dagoberto Nogueira (PDT). A definição deve sair no início das convenções partidárias.

"Existe a possibilidade e está sendo articulada pelo (deputados) Zeca do PT e Vander (Loubet). Caso seja firmado o bloco, pode ser feita uma pesquisa entre o Alex e o Dagoberto no final de julho, para definir o candidato", explicou o deputado Pedro Kemp (PT).

O parlamentar explicou que o PT deve manter a pré-candidatura de Alex, mas manter a conversa com os partidos aliados, para criação do bloco. 

O deputado Amarildo Cruz (PT) também ponderou que a decisão por candidatura própria é "legítima", mas que até o final do prazo para as convenções, esta situação pode mudar. "A aliança da esquerda pode ocorrer, depende dos partidos".

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também