Pela primeira vez, Marquinhos admite concorrer à  Prefeitura pelo PMDB

O deputado estadual Marquinhos Trad (PMDB) pode ser candidato do PMDB à Prefeitura de Campo Grande. Após várias declarações que não será candidato pelo partido, o deputado admitiu hoje que pode ser candidato pelo partido.

Marquinhos deixa claro que a primeira opção é a mudança, mas já não descarta continuar no partido, caso Dilma Rousseff (PT) vete a janela partidária aprovada no Senado. “Tem várias hipóteses. Se não tiver a janela, vou tentar uma liminar que garanta a saída. Se não conseguir, tenho que tentar viabilizar meu nome dentro do partido”, justificou.

O deputado sempre disse que não seria candidato pelo PMDB, mas após recado do vice-presidente da República, Michel Temer, decidiu pensar melhor. Segundo Marquinhos, levando em conta a amizade que tinha com o pai dele, ex-deputado Nelson Trad, Temer enviou recado a ele dizendo que não gostaria que saísse do partido.

O pedido de Michel Temer fez Marquinhos repensar e aceitar novo encontro com André Puccinelli (PMDB), que deve acontecer nesta semana. Indagado se confia em Puccinelli, o deputado fez ponderações, mas admitiu conversa.

“Tenho motivos, pelo que aconteceu na última eleição, com meu irmão, para não acreditar. Quero viabilizar meu nome em outro partido. Gostaria disso. Agora, se a lei eleitoral não permitir, vou sentar com o presidente do partido (Junior Mochi) e com ele”, concluiu.

O PMDB enfrenta dificuldade com nomes para a Prefeitura, mas também com operações que colocam o partido no foco de investigações do Ministério Público e até da Polícia Federal. A maior liderança do partido, governador André Puccinelli (PMDB) e o empreiteiro que financiava parte das campanhas, João Amorim, são investigados pela Polícia Federal. Eles seriam, segundo investigação, partícipes de uma organizaçao para favorecer licitações e superfaturar obras na gestão peemedebista em Mato Grosso do Sul.

Facebook
Twitter
WhatsApp

Leia Também