Pedrossian é homenageado, mas Puccinelli nem aparece em inauguração

Enquanto um ex-governador é homenageado, mas por razões de saúde não pôde discursar, outro nem sequer foi até a inauguração do campus da Uems (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul), na manhã desta segunda-feira (3). O primeiro, Pedro Pedrossian, foi o criador da instituição, enquanto o segundo lançou a obra, mas não conseguiu terminá-la.

“É uma pena que a saúde do meu pai não proporcione a ele o pleno gozo desta cerimônia”, disse Pedro Paulo, filho de Pedrossian – que estava na solenidade, em uma cadeira de rodas. Lembrou que o ex-governador há muitos anos “pensava nos jovens da cidade, que tinham de sair até do Estado para estudar, acabavam casando e não voltavam mais”.

Representando Pedro Pedrossian, Pedro Paulo também falou da motivação do pai em criar o que chamava de “espírito livre”, uma nova mentalidade nos jovens, que antes tinham pouco ou nenhum acesso ao saber, nas palavras do filho do homenageado. Segundo familiares, o ex-governador, que no próximo dia 13 faz 87 anos, atualmente tem dificuldades de locomoção, audição e visão, em decorrência da idade, mas se mantém lúcido.

Pedrossian governou Mato Grosso do Sul em duas oportunidades: 1980 a 1982 e de 1991 a 1994. Criou a Uems por meio da Lei número 1.461, de novembro de 1993.

Já Puccinelli, que encerrou seu segundo mandato em dezembro último, sendo sucedido por Reinaldo Azambuja (PSDB), lançou a obra do campus da instituição. Na solenidade de inauguração, ele não apareceu, mas o presidente da Assembleia Legislativa, Junior Mochi, e o deputado federal Carlos Marun, ambos do PMDB e ligados ao ex-governador, marcaram presença.

Em discurso, Mochi lembrou do correligionário: “esta obra era um sonho de André Puccinelli também, foi ele quem deu início a ela”. Não foi informado o motivo da ausência do ex-governador peemedebista.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também