Palestra alerta adolescentes do IMCG para as consequências do uso de drogas

Com o tema “Sonhos desperdiçados; sociedade ferida”, o agente federal André Salineiro conseguiu despertar interesse dos mirins com assuntos polêmicos.

Com informações precisas e fundamentadas, imagens fortes, assuntos polêmicos, questionamentos provocativos e pinceladas de bom humor, o agente federal André Salineiro, na última terça-feira (30) arrancou aplauso dos adolescentes do Instituto Mirim de Campo Grande – unidade Centro, durante a palestra “Sonhos desperdiçados; sociedade ferida”, ministrada por Salineiro, alertou os mirins para as consequências do uso das drogas lícitas e ilícitas.

Salineiro foi além de realizar um trabalho preventivo contra as drogas. Com mensagens e citação de exemplos de superação, ele motivou os adolescentes a nunca desistirem de seus sonhos, tomando como base de sustentação o tripé do sucesso: família, escola e religiosidade. Ele fez questão de deixar claro que profere palestras não como um policial federal e sim como um cidadão que quer passar informações e estimular as pessoas a lutarem pelos seus objetivos.

Segundo o agente federal, Mato Grosso do Sul possui alto índice de jovens e adolescentes envolvidos com o mundo das drogas, devido a nossa região de fronteira. Salineiro informou que a aquisição da droga em nosso Estado é mais fácil que em muitas regiões brasileiras. “Estamos muito próximos de países que produzem tanto maconha como cocaína”, alertou.

Hoje, lamentou Salineiro, não se constata no Estado uma política específica e permanente de combate às drogas na região de fronteira. “O que existe são ações isoladas”, disse ao ressaltar que MS é porta de entrada não só para as drogas, como também para armas e pessoas foragidas.

Na opinião do agente federal, as políticas do sistema prisional precisam ser revistas urgentemente. Segundo ele, pesquisas comprovam que mais de 50% de toda a população carcerária vai ser reincidente criminal. Para que isso não ocorra, defendeu, é preciso que a prisão cumpra sua finalidade máxima que é a ressocialização do preso. “O Instituto Penal Campo Grande é um exemplo de ressocialização, órgão que possui convênios com o Senac [Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial] e UCDB [ Universidade Católica Dom Bosco], onde o detento se quiser pode até fazer um curso de pós-graduação. Essas políticas prisionais são muito importantes”, destacou.

Na opinião do agente federal, a sociedade não pode esquecer a população carcerária, visto que se ela não for capacitada e assistida, vai voltar a cometer crimes.

Salineiro ministra palestras gratuitas há aproximadamente três anos, durante suas folgas, em escolas públicas e particulares, entidades assistenciais, igrejas, entre outros. Sua motivação em promover palestras, principalmente para jovens e adolescentes, tem como foco o trabalho preventivo,“que dá muito mais resultado que a repressão. Evitamos que muitas pessoas ingressem no mundo do crime e das drogas”. A prevenção, salientou o palestrante, cumpre o seu papel educativo. “Por isso, sou fã da Educação, que é capaz de mudar o Brasil, assim como já mudou muitos outros países”.

Com relação à recepção e participação dos mirins, Salineiro declarou-se satisfeito. Para ele, “foi excelente a interatividade ocorrida durante a palestra. Observamos nas expressões dos adolescentes que conseguiram captar as informações. Eles demonstraram interesse pelos assuntos abordados”, considerou

No final da palestra, Salineiro distribuiu cartilhas que produziu há dois anos, dando dicas de prevenção contra a violência. Entre as mensagens motivadoras que Salineiro apresentou durante a palestra, destacamos: “Você pode viver o seu sonho! Deus tem um propósito na vida para cada um de vocês”.

O coordenador do IMCG – unidade Centro, Luciandro Higashijima, fez uma avaliação positiva do evento, inclusive, convidou Salineiro para ministrar palestras também para os mirins trabalhadores e na unidade Carandá Bosque.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também