Obama exalta Hillary, a ”mais qualificada” para ser presidente

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, fez uma defesa convicta da candidatura de Hillary Clinton à Casa Branca e afirmou que ninguém – nem mesmo ele – é mais preparado para o cargo do que a ex-senadora. “Nunca houve um homem ou uma mulher – nem eu, nem Bill nem ninguém – mais qualificado para ser presidente dos Estados Unidos”, afirmou Obama, o principal orador do terceiro dia da Convenção Democrata, realizada na Filadélfia.

Ao final do discurso, Hillary apareceu de surpresa no palco e abraçou o presidente americano. Foi a primeira vez que a ex-senadora, confirmada na terça-feira como a candidata do partido nas eleições presidenciais de 8 de novembro, apareceu pessoalmente na Convenção Democrata. Hillary discursa nesta quinta, no último dia do encontro.

Em contraste com os discursos pessimistas da Convenção Republicana, Obama ofereceu uma fala recheada de esperança. Para o presidente americano, os Estados Unidos, apesar dos problemas, “já são grandes e já são fortes”. A declaração é uma referência ao slogan de campanha do republicano Donald Trump, que promete “fazer a América grande de novo”. Em outra fala endereçada ao magnata, Obama exaltou os valores dos EUA e afirmou que “sonho americano é algo que nenhum muro vai deter” – Trump defende a construção de um muro na fronteira com o México para evitar a entrada de imigrantes ilegais.

Sempre que o nome do magnata era citado, aliás, o público vaiava. “Não vaiem, votem”, disse Obama, incentivando a presença dos anti-Trump nas eleições. Na conclusão de sua fala, o presidente americano pediu: “Rejeitem o cinismo, rejeitem o medo, e elejam Hillary a próxima presidente dos Estados Unidos”.

Discursos – Os outros discursos da noite também fizeram uma defesa apaixonada de Hillary e miraram a artilharia para Trump – descrito como um demagogo perigoso e uma ameaça para os EUA.

O atual vice Joe Biden incendiou os democratas na Filadélfia ao descrever o bilionário como um cínico desprovido de compaixão que tem prazer em dizer “você está demitido”. Já o ex-prefeito de Nova York, Michael Bloomberg, questionou o sucesso empresarial de Trump, disse que ele é um “perigoso demagogo” e o acusou de hipocrisia. “Eu sou um nova-iorquino e eu reconheço um vigarista quando vejo um”, declarou o empresário.

Um dos empreendedores americanos mais bem-sucedidos do país, Bloomberg atacou a atuação de Trump à frente de seus negócios. “Ao longo de sua carreira, Trump deixou um recorde bem documentado de falências, milhares de ações judiciais, acionistas furiosos e prestadores de serviços que se sentiram enganados e clientes desiludidos, que se sentiram roubados”, ressaltou. “Trump diz que quer administrar o país como administra seus negócios. Deus nos ajude.”

O candidato a vice-presidente na chapa de Hillary, o senador Tim Kaine, disse que seu filho acabou de deixar o país para servir o Exército no exterior. Segundo ele, as famílias americanas não podem correr o risco de confiar a vida de seus filhos a Trump. Kaine também apelou à comunidade latina ao falar várias vezes em espanhol. “Somos todos americanos”. Em resposta, a plateia respondeu “si, se puede”, a versão em espanhol do slogan usado na eleição de Obama.
(Com Estadão Conteúdo)

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também