“O Pedra está inelegível, portanto ele não pode concorrer as eleições”

Após desistir de concorrer a prefeitura de Campo Grande por não ter apoio do Partido dos Trabalhadores, perdendo tempo de televisão durante a campanha eleitoral, o presidente regional do PDT e deputado federal, Dagoberto Nogueira, afirmou que o partido vai caminhar mesmo ao lado do PSDB e não de Alcides Bernal (PP) nas eleições de 2016.
 
Mesmo tendo Paulo Pedra como braço direito de Bernal, Dagoberto garante que Pedra está inelegível após  ter o mandato cassado pelo Tribunal Superior Eleitoral, acusado de comprar votos e abuso de poder econômico nas eleições de 2012. "O Pedra está inelegível, portanto ele não pode concorrer as eleições e também não pertence a nenhuma sigla partidária, a não ser que ele consiga reverter a situação através de uma ação judicial, mas acho muito difícil neste momento".
 
De acordo com Dagoberto, o PDT não deseja ouvir a opinião do vereador cassado, já que ele defende apoio ao atual Chefe do Executivo, que conforme a sigla partidária, não estaria desenvolvendo uma boa gestão na Capital. "Ele defende uma possível candidatura que não condiz com as ideias do partido, Alcides Bernal vem fazendo uma péssima gestão em Campo Grande e não podemos apoiar alguém que não está fazendo bem para a cidade. O Pedra tem compromissos com Bernal e o PDT não tem".
 
Pedra atuou como secretário municipal de governo de Alcides e deixou o cargo em abril deste ano, com objetivo de coordenar a campanha do prefeito Alcides Bernal, contrariando os objetivos do PDT.  
 
Segundo Dagoberto, o PDT estaria realizando estudos em cima da candidatura de Bernal, Rose Modesto e Marquinhos Trad (PSD), porém, a maioria dos membros demonstra que deseja caminhar ao lado dos tucanos, que teriam condições de apresentar um novo modelo de gestão para Campo Grande.
 
"Entre os três, descartamos apoiar Bernal pelo trabalho que ele vem deixando de fazer na Capital. Tem o Marquinhos Trad e a Rose, mas a maioria sinaliza que quer caminhar com ela e eu concordo, acredito que é a candidatura mais preparada que tem condições de apresentar um plano de governo para tirar Campo Grande do buraco", diz o presidente.
 
Questionado sobre o PDT voltar atrás e apoiar a pré-candidatura de Alex do PT, Dagoberto garante que não existe possibilidade de se juntar aos petistas novamente. "Não vamos caminhar com o PT, a ideia era a minha candidatura com o apoio do PT, mas eles cederam aos gostos do Alex, que bateu o pé que queria concorrer e agora vai, mas vai sem o nosso apoio porque não consideramos uma pré-candidatura forte, consideramos ele sem chances de vencer o pleito. Não temos condições de lançar candidatura própria já que perdemos muito tempo de televisão, então vamos apoiar outro candidato".

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também