Nos EUA, brasileiro se infiltra em comitiva e xinga Dilma

Uma falha de segurança permitiu que o brasileiro Igor Gilly se infiltrasse nesta quinta-feira na comitiva da presidente Dilma Rousseff, nos corredores da Universidade de Stanford, na Califórnia (EUA). Dilma estava ao lado de Condoleezza Rice, ex-secretária de Estado dos EUA, quando foi abordada de forma grosseira por Gilly. O brasileiro ofendeu a petista com gritos de "assassina", "ladra" e "terrorista".

Ele disparou palavrões e chegou ao extremo de dizer que a presidente merecia morrer. "Terrorista que rouba a população tem mais que ser morto", gritou. Gilly publicou o vídeo em sua página no Facebook, que contém fotos dele com o deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) e outras nas quais exibe cartazes em a favor da intervenção militar no Brasil. Durante a manifestação agressiva, ele foi interpelado pelo ministro da Defesa, Jaques Wagner (PT), que provocou: "Está com muito dinheiro do papai no bolso?". O brasileiro foi retirado do local pela segurança. Outra brasileira também publicou um vídeo no qual bate panela contra Dilma na porta do Hotel Fairmont, em São Francisco. 

Veja o video:
http://<iframe width="560" height="315" src="https://www.youtube.com/embed/yBv3_tZQMs0" frameborder="0" allowfullscreen></iframe>

(Da redação)

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também