Moradores da antiga Cidade de Deus são usados na campanha de Bernal

O fracasso na retirada dos moradores da antiga favela Cidade de Deus foi totalmente ignorado pelo staff do prefeito Alcides Bernal (PP), que usa a remoção dos moradores como propaganda política durante a campanha eleitoral. É como se o destelhamento de casas recém-construídas durante o último vendaval não tivesse existido, a destruição de barracos das famílias que ainda aguardam uma residência sempre que ocorre uma tempestade fosse apenas ruído e a ameaça de despejos de solteiros fosse apenas história da oposição.

De fachada

O uso equivocado do sofrimento da comunidade, que foi separada em três regiões diferentes, podia ser visto durante o desfile cívico em comemoração ao aniversário de 117 anos de Campo Grande através de faixas de agradecimento. Os tais símbolos de gratidão estão presentes em outras obras e já foram colocados, antes da campanha, em pontos estratégicos do município como a rotatória que interliga as Avenidas Afonso Pena e Duque de Caxias.

Juntando moedinhas

A estratégia chega a ser cômica por pressupor que comunidades carentes, onde até mesmo o arroz com feijão de todos os dias é escasso, consigam arrecadar dinheiro para investir em publicidade para a prefeitura. O uso de alguns moradores da comunidade inclusive gerou discussão entre moradores do Bom Retiro, Pedro Teruel e Canguru, que ficaram indignados com o apoio de colegas que também passam dificuldades.

Sustento

Nas rodas de conversa, uma moradora explica o drama. “Tem gente do Canguru indo fazer bandeirada pró Bernal, pois tenho algo a te dizer: as pessoas que foram ao desfile foram ganhar um dinheiro pra comprar alguma coisa. Estão muito caros os alimentos e o salário de fome que a senhora presidenta nos deu é uma miséria. Portanto, colega, ninguém está apoiando ninguém, eles estão correndo atrás do sustento deles”. (Texto adaptado para melhor compreensão).

Totens?

Os problemas não se restringem apenas às comunidades carentes e também podem ser vistas nas áreas nobres da Capital. No Facebook, o prefeito Alcides Bernal tenta justificar a inércia de sua gestão e a ausência de inaugurações de obras públicas nos últimos meses (e anos). “A eficiência de uma administração não se mede pelo número de placas e sim pela qualidade das ações, diante de todos os obstáculos que são postos”.

Refúgio

Ainda, o palco de autoridades montado no desfile cívico de Campo Grande refletiu o isolamento de Bernal. Sem conseguir costurar alianças duradouras, o prefeito foi acompanhado praticamente apenas pelo seu secretariado. Em campanha para o PSDB, o governador Reinaldo Azambuja preferiu evitar o constrangimento de sentar lado a lado do pepista e enviou uma emissária do governo para representa-lo. Coube à secretária de Educação, Maria Cecília Amêndola Motta, representar o Estado na solenidade.

Oportunidade

No chão, o evento foi um prato cheio para candidatos a prefeito e a vereador. Entre os postulantes a um cargo na prefeitura, marcaram presença no evento Alex do PT, Suél Ferrante, Athayde Nery e Marquinhos Trad. Outros não estiveram entre a multidão, mas o material de campanha andou circulando pelo local.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também