Mesmo “ganhando pouco” Rose quase triplicou patrimônio em apenas dois anos

Candidata à Prefeitura de Campo Grande, Rose Modesto (PSDB) declarou à Justiça Eleitoral um total de R$ 413.041,60 em bens, conforme o DivulgaCand, sistema que reúne informações sobre as Eleições 2016. Em comparação com os dados de 2014, quando foi eleita vice-governadora ao lado de Reinaldo Azambuja(PSDB), o patrimônio dela quase triplicou.

Na disputa anterior, ela apresentou total de R$ 139.356,74, sendo R$ 36.356,74 em aplicações bancárias, um veículo de R$ 43 mil e um apartamento de R$ 60 mil.

Desta vez, ela declarou R$ 32.601 em moeda nacional, R$ 64.713,11 em aplicações financeiras, um apartamento de R$ 173.726,49 localizado em um condomínio no Carandá Bosque e dois automóveis. O primeiro é um Kia Soul 2011 avaliado em R$ 44 mil e o segundo, um Hyundai IX 2014 de R$ 98 mil.

Rose disse que "não ganho muito não” –  R$ 24.376,89 por mês

A fala da vice-governadora do Estado, Rose Modesto (PSDB), avaliando ganhar pouco mesmo com renumeração de R$ 24,3 mil bruto, conforme o Portal da Transparência, dividiu opiniões entre os pré-candidatos à Prefeitura de Campo Grande que devem enfrentá-la nas urnas no dia 2 de outubro. Enquanto uns acreditam que a tucana foi mal interpretada, outros consideram falta de sensibilidade social por parte dela.

O vereador Marcos Alex (PT), por exemplo, justificou que poucos brasileiros têm tal salário, portanto “é um absurdo essa declaração, infeliz. Demonstra insensibilidade social gritante em plena crise econômica. Infelizmente a vice-governadora está fora da realidade social do País e não estou falando do que é justo ou não, e sim da história do País, do assalariado”.

O petista, que vai registrar candidatura nos próximos dias, sugeriu que Rose se retrate com a população. O deputado estadual Marquinhos Trad (PSD), por sua vez, acredita que a fala não foi interpretada da forma correta, mas, de qualquer forma, assegura que a declaração não vai interferir na campanha.

“Eu acho que ela não quis dizer isso, ela não foi bem compreendida, porque sabe que R$ 24 mil são poucos que ganham hoje. Mas isso é irrelevante para a escolha do eleitor. O que vai prevalecer é o debate de ideias para buscar soluções plausíveis a curto prazo aos problemas de Campo Grande”, disse ele que em 2010 se envolveu em polêmica porque disse que não dava para viver com R$ 11 mil, remuneração dos parlamentares à época.

Marquinhos voltou a ressaltar que foi distorcido o que disse naquele dia. Na verdade ele se referia ao pouco valor diante de tantas pessoas que tem para ajudar e que até hoje chegam ofícios pedindo auxilio financeiro para compra de remédios, cestas básicas, formaturas e funerais.

O servidor público federal, Suél Ferranti (PSTU), opinou que a remuneração paga à vice-governadora, poucos trabalhadores especializados recebem e comparou com o seu orçamento. “Tenho ensino superior, ela também, mas o meu salário é de menos de R$ 5 mil, ainda mais agora sem vale-transporte e vale-alimentação”. Ele está com os benefícios suspensos porque se licenciou do cargo para disputar a eleição.

“Poucos têm esse salário e se o próprio Marquinhos diz que R$ 11 mil não dá para viver, de repente com R$ 24 mil é possível”, brincou o representante do PSTU. Questionado, o deputado estadual Coronel David dos Santos (PSC) se limitou a dizer que na próxima segunda-feira (15) vai registrar candidatura no Fórum Eleitoral e dará conhecimento de quanto pretende gastar na campanha, o valor de seus bens e o plano de governo.

Milionário

Já o vice de Rose Modesto, Claudio Mendonça (PR), declarou R$ 2.545.795,24 em bens, seis vezes mais do que a companheira de chapa. Segundo dados disponíveis no DivulgaCand ele tem inclusive aplicações no exterior no valor de R$ 89.011,13 (valor convertido em moeda nacional pela Justiça Eleitoral) na instituição financeira Hansard International.

O empresário também dispõe de um veículo de R$ 60 mil, um apartamento de R$ 250 mil no Centro de Campo Grande e 70% de uma fazenda em Terenos no valor de R$ 1,610 milhão.

Mendonça também declarou ser dono do capital social de uma empresa de alimentos no valor de R$ R$ 270 mil e outros R$ 253.260 em aplicações e outros tipos de investimentos no Brasil.
 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também