Marquinhos Trad garante que deixará o PMDB.

O projeto que segue em tramitação no Congresso Nacional, estabelecendo uma janela partidária um ano antes das eleições é a saída que muitos membros de partidos de Mato Grosso do Sul estavam buscando para mudar de sigla partidária. Caso seja aprovado, o projeto, que também é conhecido como janela da "infidelidade", permitirá que todos que estejam insatisfeitos com o partido em que cumpre mandato, consiga mudar de legenda. 

Mas o que os parlamentares não esperam é que a proposta seja rejeitada, dificultando assim, a saída que muitos sonham. Com a maior bancada na ALMS (Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul) e na Câmara Municipal de Campo Grande, o PMDB (Partido do Movimento Democrático Brasileiro) é um dos partidos que vivencia momentos de "conflito" entre seus membros.

Com clima estremecido, Fábio Trad deixou o partido no início do ano e a lista de "insatisfeitos só aumenta". Após disputar as eleições para a prefeitura de Campo Grande, Nelson Trad Filho (PMDB) é mais um na lista de espera para usufruir da janela partidária. "Aguardei o prazo final das filiações que vence em outubro e outros prováveis desdobramentos da reforma política que está sendo apreciado pelo Congresso, dai sim me manifestarei", explica Nelsinho. 

Marquinhos Trad (PMDB) garante que deixará o partido. "Minha insatisfação não é de agora, já faz algum tempo que eu estou tendo isso dentro do PMDB, não compartilho as mesmas defesas do partido e desejo mudar de partido. Vou aguardar essa janela para mudar de partido".  

Questionado sobre a possível rejeição do Senado à proposta, Marquinhos ressalta que entrará com o pedido ao TRE e afirma que não "existe possibilidade de permanecer na sigla".

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também