Lava Jato: Dirceu fecha consultoria que faturou R$ 39 milhões

O ex-ministro da Casa Civil José Dirceu (PT) comunicou à Justiça Federal que fechou a sua empresa de consultoria, suspeita de ser usada pelo mensaleiro para receber pagamentos de propina de empreiteiras em troca de lobby por contratos na Petrobras. Na última sexta-feira, a defesa de Dirceu enviou ao juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal em Curitiba (PR), documento no qual informa que a JD Assessoria e Consultoria Ltda está "inoperante".

A firma de Dirceu faturou 39,1 milhões de reais entre 2006 e 2013, dos quais 29,3 milhões de reais de clientes no Brasil, conforme declarado à Receita Federal. Segundo o advogado Roberto Podval, a JD Assessoria e Consultoria só não foi "formalmente encerrada por questões meramente tributárias (débitos tributários em parcelamento)". "A empresa peticionária já cessou todas as suas atividades e não tem nenhum pagamento a receber", disse ao juiz.

O advogado informou também que Dirceu demitiu quase todos os funcionários nos últimos anos – eram quinze em 2013 e oito em 2014, segundo dados enviados ao Ministério do Trabalho e Emprego. Resta apenas uma funcionária, segundo a defesa, que está em período de estabilidade trabalhista.

Comprada por Dirceu por 1,6 milhão de reais, a sede da JD Assessoria e Consultoria está disponível para locação ou venda, transação pela qual ele cobra 5,5 milhões de reais. "A única movimentação existente é o comparecimento eventual de um encarregado para recolher correspondência ou apresentar o imóvel para eventuais interessados.

Estão sendo providenciados os desligamentos de todas as linhas telefônicas comerciais", informou o advogado. Preocupado com a possibilidade de o petista ser preso ou levado coercitivamente para depor à Polícia Federal, Podval disse novamente que o ex-ministro tem interesse em se apresentar voluntariamente aos investigadores da Operação Lava Jato. (Felipe Frazão, de São Paulo)

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também