Incubadoras: é possível deixar a insegurança de lado e se tornar empresário

Abrir o próprio negócio. Já pensou nisso? Seja por ganhar autonomia, mudar de profissão. aceitar novos desafios, todos já tiveram vontade de serem donos e deixarem de ser empregados.

Como fazer o negócio nascer e prosperar? A maioria dos "aspirantes" joga a toalha antes de abrir a porta, muitas vezes por medo. Esse medo pode ser de perder o investimento ou de não saber gerenciar.

A Prefeitura de Campo Grande, por meio da Sedesc (Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, Turismo e Agronegócio), oferece os serviços das Incubadoras, centros de desenvolvimento empresarial e de treinamentos, que promovem a cultura empreendedora, estimulando a geração e consolidação de micro e pequenas empresas. O programa é oferecido em parceria com o SEBRAE, Universidades e outras instituições. O Departamento de Fomento e Desenvolvimento de Micros e Pequenos Empreendimentos e Incubadoras, órgão da Sedesc, é responsável pela gestão do Sistema Municipal de Incubação de Empresas. 

De acordo com Fabrício Bazé, coordenador do departamento, nas incubadoras são disponibilizadas infraestruturas e realizadas ações como treinamentos na área de gestão e produção, capacitações, consultorias e palestras, visando proporcionar o apoio necessário desde a fase de definição do negócio, passando pela implantação e desenvolvimento até a maturidade, quando a empresa consegue caminhar sozinha. 

A seleção para o empresário ingressar na incubadora é feita por edital, durante todo o ano. São três tipos de incubação: 

Pré-incubação, período de até 03 meses direcionada para amadurecer o Plano de Negócios para que o empreendimento tenha condições de iniciar suas atividades;

Incubação residente, a empresa incubada poderá ser instalada em sala na sede da incubadora para a qual se candidatou, recebendo os serviços oferecidos pela incubadora por até trinta meses;

Incubação à distância, a empresa incubada que já possui estrutura física recebe os serviços de apoio técnico e de gestão, instrutoria e consultoria por até trinta meses.

Nas quatro incubadoras municipais, é disponibilizada toda a infraestrutura necessária para que o incubado desenvolva seu produto até chegar ao ponto de colocá-lo no mercado, em condições de competitividade. 

Mercado – O empresário Adauton Bernardo, do Açaí do Adauton, participou do programa de incubação, para implantação de sua marca. De acordo com ele, a experiência foi importante, pelo suporte e cursos oferecidos. “O propósito é muito bom, oferecem suporte e condições para ampliar a visão do empresário, para tomar decisões mais rápidas”, explica. 

Além da empresa que comercializa o açaí, Adauton também gerencia uma empresa de logística de polpa de frutas, com oito funcionários. Para ele, o segmento está em expansão, por conta da posição geográfica de Campo Grande. “Estamos em expansão e nossa posição é privilegiada, como se fosse um entreposto. Temos boas perspectivas”, ressalta. 

Para conhecer as incubadoras e mais informações, ligue: 67 3314-3966.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também