Inauguração de “mentirinha” – UPA do Santa Mônica não tem previsão para iniciar

Após uma “mega” inauguração, que contou inclusive com fogos de artifício, realizada na última sexta-feira (1°), a UPA (Unidade Pronto Atendimento) do bairro Santa Mônica, região oeste de Campo Grande, se encontra com cadeados no portão, devido a falta de médicos e de enfermeiros para atendimentos.

A justificativa do secretário municipal de saúde pública, Ivandro Corrêa Fonseca, é que a unidade deve abrir dentro de 20 dias, por causa de uma determinação judicial, no que diz respeito ao uso de profissionais da saúde, a Prefeitura Municipal de Campo Grande deve optar por aqueles que prestaram concurso público. “Existem os médicos e enfermeiros que são contratados da Prefeitura, mas por determinação judicial nós temos que optar pelos profissionais concursados”, relata o secretário.

Ivandro Fonseca conta ainda que, a UPA do bairro Santa Mônica que visa atender cerca de 100 mil habitantes, foi aberta para “visitação” na última sexta-feira. “A unidade foi aberta para a visitação, para que os moradores se acostumem com o local”, afirmou.

O coordenador de produção, Antônio Carlos, de 40 anos, que agora é vizinho da nova UPA, se diz inconformado com a situação. “Isso é errado. Se prometeu tem que funcionar. Infelizmente é uma perda para o Estado. Agora ‘os caras’ vem aí, soltam fogos e tudo mais, e fica aí parado. Isso é um grande elefante branco”, relata indignado, o morador da região.

Segundo o secretário municipal de saúde pública, Ivandro Fonseca, em edição do Diário Oficial desta última quarta-feira (29), foi divulgado a lista de nomes dos funcionários públicos convocados, pela Prefeitura, para integrarem a equipe da unidade. Ivandro afirma que o prazo de aproximadamente 20 dias para a entrega, ainda continua.

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também