Gilmar Olarte diz que vai ‘começar a falar’

O prefeito de Campo Grande, Gilmar Olarte, resolveu virar a artilharia contra o antecessor, Alcides Bernal (PP). Em agenda pública na manhã desta segunda-feira (17), disse que “cansou de ficar calado e agora vai começar a falar”.

Segundo Olarte, o ex-prefeito acaba de ter bens apreendidos pela Justiça “por ter desviado merenda das criancinhas”. “O governo do Gilmar Olarte foi vítima de uma construção para inviabilizá-lo. Essa decisão mostra que tudo que foi construído com mentiras está caindo por terra”, declarou.

A ação à qual se refere Olarte foi ajuizada pelo MPF (Ministério Público Federal) contra Bernal, o então secretário municipal de Educação, José Chadid, a empresa Salute e outros cinco envolvidos. O processo tramita em segredo de justiça na 2ª Vara da Justiça Federal, em Campo Grande.

O MPF acusa os réus de terem fraudado licitação, em 2013, para aquisição e distribuição de merenda escolar. A mesma fonte aponta que as irregularidades envolvem dispensa ilegal de licitação, não aplicação de multa contratual e sobrepreço nos produtos ofertados, gerando prejuízo de R$ 647,5 mil aos cofres municipais, verba vinda do Ministério da Educação.

“Este é um dos 32 crimes cometidos por Bernal, na época que a Câmara identificou e o cassou”, disse Olarte, falando que o antecessor estava “roubando a merenda e deixando as criancinhas com fome e sofrendo, por isso foi cassado”. O então prefeito da Capital perdeu o cargo em março de 2014, por decisão da Câmara Municipal, após uma comissão processante que identificou ilegalidades em sua gestão.

Olarte disse que vai provar “tim-tim por tim-tim” sua inocência, reafirmou que, quando assumiu o cargo, a Prefeitura tinha R$ 300 milhões em dívidas e prosseguiu no discurso contra Bernal. “Essa decisão da Justiça só ratifica a dos vereadores”, disse.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também