Fabricante da vacina alega que doses só podem ter “sumido”

Ministério da Saúde e Instituto Butantan rechaçam as informações da prefeitura de Campo Grande que afirma que frascos de vacina contra gripe H1N1 repassados à rede de saúde da Capital vieram com menos doses que o normal.

Cada recipiente de 5 ml dá conta de 10 vacinações e conforme o instituto, que fabrica o produto, "envasa-se sempre uma quantidade superior à correspondente a dez doses". Ou seja, o efetivo controle na fabricação, garantido pela entidade, leva a crer que o desaparecimento de doses realmente ocorreu e, provavelmente, por desvio. 

Segundo o instituto, a quantidade do produto envasado costuma ser maior para evitar perda de medicamento durante a manipulação e garantir que dez doses possam ser aplicadas.

Instituto Butantan afirma que há rígido controle na fabricação dos medicamentos.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também