Esperando do lado de fora, UPA do Jardim Leblon é o “retrato do cáos”

Pacientes que precisam dos serviços médicos da UPA (unidade de Pronto Atendimento) do Jardim Leblon, região oeste de Campo Grande, reclamam da falta de médico e da demora do atendimento, a média de espera de que tem procurado o local é de seis horas.
 
Funcionário, que não quis se identificar, confessou que tem faltado médico nos plantões. Na última sexta-feira (17), por exemplo, tinha apenas um médico na unidade e conforme a escala publicada no site da prefeitura de Campo Grande, deveria ter seis plantonistas. “A média de atendimento é cerca de seis horas, porque tem dias que fica só um médico cobrindo plantão, muitos não vêm”, relata o funcionário da unidade.

Na tarde desta segunda-feira (20), a fila por atendimento se estendeu até do lado de fora da unidade. João Pedro Santana, 23, esperou cerca de cinco horas na fila para ser atendido. “Eu estou aqui desde as 9h da manhã, mas tem gente que estava aqui muito antes mim e só foi ser chamado agora que já são 14h15. É um hospital lindo. Ele é muito limpo e bem conservado. O único defeito é que falta médicos”, relata João sobre o atendimento no local.

Lei
De acordo com a resolução n°2.079/14 do CFM (O Conselho Federal de Medicina), o atendimento precisa ser imediato no serviço de triagem e classificação de risco e, após esse processo, o tempo de espera para acesso ao médico, na categoria de menor urgência, não deve ultrapassar duas horas (120 minutos).

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também