Drones ajudam a prevenir e resolver problemas no campo

Os drones ou veículos aéreos não tripulados (vants) podem ser importantes ferramentas para fazer o monitoramento de lavouras, levantando informações, como, por exemplo, a qualidade do plantio, o  desenvolvimento das culturas e a estimativa de safras. Podem ainda detectar problemas, como a deficiência de nitrogênio no solo, ataques de pragas e doenças e o estresse hídrico.

A apresentação da tecnologia foi feita nesta quarta-feira (21), pelo pesquisador da Embrapa Instrumentação, Lúcio André de Castro Jorge, em palestra no Showtec, que está sendo promovido pela Fundação MS, em Maracaju, a 157 quilômetros de Campo Grande.

Segundo Jorge, estão disponíveis no mercado brasileiro equipamentos que custam de R$ 5 mil, que é um kit para ser montado pelo próprio produtor, até R$ 300 mil. “A demanda do produtor é que vai definir que tipo de equipamento ele deve adquirir. Sempre recomendamos que o agricultor comece com modelos mais básicos, que tem operação mais simples, para que ele se familiarize com a tecnologia e depois, a medida que precisar passe para outros mais complexos”, explica.

Conforme o pesquisador, além do drone ou vant também é preciso que o produtor invista em equipamentos como câmeras e sensores, que vão fazer as imagens e a leitura das informações durante os voos e ainda em softwares, que vão fazer junção das fotografias captadas, o chamado mosaico, e depois a interpretação destes dados, fornecendo os relatórios que vão fundamentar as tomadas de decisões.

Jorge diz que desde 1998 a Embrapa vem realizando estudos com o uso de drones na agricultura e que o centro de pesquisa já desenvolveu alguns softwares que analisam as imagens captadas pelos equipamentos. Um deles é o Siscob, que é utilizado para fazer a análise da cobertura do solo por treinamento de exemplos.

“Você indica ao software o que é o solo, o que é a planta e outras informações. A partir do reconhecimento que ele faz pela cor, possibilita a identificação, por exemplo, de falhas no plantio e da área ocupada por nematoides, além de outras informações”.

Outro programa desenvolvido pela instituição é o GeoFielder, que visa coletar dados georreferenciados em campo, para elaborar mosaicos mais precisos das áreas. Os dois softwares têm versões gratuitas para download no site da Embrapa e também foram licenciados para uma empresa, que comercializa versões atualizadas dos programas, com novos recursos.

O pesquisador projeta um grande incremento no uso da tecnologia dos drones na agricultura brasileira nos próximos anos, mas diz que antes, é preciso que ocorra a regulamentação do uso da tecnologia. Atesta o interesse, conforme ele, dados revelados por um fabricante que apontam que somente no ano passado essa empresa comercializou 90 drones para monitoramento agrícola no país.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também