Depois de 15 anos em estrutura cedida, UEMS tem novo campus na Capital

Com sete blocos inaugurados, nesta segunda-feira, a Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS) reforça posicionamento estratégico em Campo Grande. A estrutura, com presença de elementos indígenas, teve investimento de R$ 49,6 milhões e ainda terá acesso facilitado com duplicação de trecho urbano da MS-080.

O reitor da instituição, Fabio Edir dos Santos, ressaltou que encerra-se um ciclo de 15 anos em que as aulas ocorriam em estruturas cedidas ou improvisadas para atender os 1,1 mil acadêmicos distribuídos em nove cursos de graduação e três de mestrado. Existe perspectiva de se ampliar o atendimento em 700 novas vagas.

“Agora temos o sentimento de ter nosso próprio campus, nossa casa”, pontuou o acadêmico de medicina Vitor de Souza Vergara, 19 anos. “Teremos aulas em salas pensadas em nossas necessidades”.

Para o governador Reinaldo Azambuja (PSDB), a obra representa o esforço conjunto em concluir empreendimentos paralisados no Estado e investir na inovação frente as necessidades de desenvolvimento. Ele ainda declarou que o acesso a instituição será duplicado, com recurso estadual, para garantir mais conforto e segurança aos acadêmicos. Linhas de ônibus estão em análise pela Agência Municipal de Trânsito (Agetran).

Durante a solenidade, o ex-governador Pedro Pedrossian foi homenageado por criar a UEMS, em dezembro de 1993, e implantar política de interiorização do ensino superior. Hoje a universidade possui 15 campus com alunos oriundos, em sua maioria, da rede pública (80%) e com domicílio eleitoral no Estado (70%).

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também