Dagoberto pode voltar a fazer PDT diminuir no Estado

O deputado federal Dagoberto Nogueira (PDT) pode voltar a fazer o PDT diminuir em Mato Grosso do Sul. O ex-presidente estadual, João Leite Schimidt , conseguiu fazer o partido passar de um para três representantes, mas Dagoberto mal assumiu a presidência e já está desagradando.

Insatisfeitos com Dagoberto na presidência, o trio de deputados, composto por Beto Pereira, Felipe Orro e George Takimoto, já estuda debandada do partido. Eles aguardam interferência do presidente nacional da sigla, Carlos Luppi. Porém, caso não ocorra, planejam debandada em conjunto.

“Se ele (Luppi) homologar a chapa, descumpri acordo feito conosco. Ele tem cinco dias para vir aqui e cumprir o que foi acordado. O Dagoberto descumprir, já estamos acostumados, agora o Luppi não”, explicou Beto Pereira.

Beto Pereira explica que todas as decisões estão sendo tomadas em conjunto pelo trio, que já avalia a possibilidade de deixar o partido, caso sejam alijados do diretório estadual. “Ele vai dar conta de acabar com tudo de novo. Só ele que não consegue enxergar isso. Uma coisa é certa. A decisão será em conjunto e dos três deputados”, afirmou.

Esta não é a primeira vez que Dagoberto pode influenciar uma crise dentro do PDT. Em 2009 ele causou a saída de Ary Rigo, Antônio Braga e Onevan de Matos, quando decidiu apoiar a candidatura de Zeca do PT ao governo, para se candidatar ao Senado. Com a saída do trio, o partido ficou com apenas  um deputado, o Cel. Ivan, que depois acabou não se reelegendo.

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também