Conab revê projeção e safrinha de MS pode chegar a 8,178 milhões de toneladas

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) voltou a rever no levantamento divulgado nesta quinta-feira (9) a projeção da safrinha de milho do ciclo 2014/2015. Foi a terceira estimativa consecutiva em que o volume de produção é recalculado para mais. Era de 7,985 milhões de toneladas em maio, passou para 8,049 milhões de toneladas em junho e subiu para 8,178 milhões de toneladas no de julho.

Se confirmado o volume desta estimativa mais recente, o incremento de produção frente a safrinha do ciclo 2013/2014, quando o estado colheu 7,954 milhões de toneladas, deve ser de 2,8%. Essa quantidade do cereal também vai representar a maior produção do grão na história do estado.

A companhia aponta que esse incremento de produção se deve a dois aumentos. Um na área cultivada, de 2,4%, que passou dos 1,547 milhão de hectares para 1,585 milhão de hectares, e outro na produtividade, que subiu 0,4%, passando de 5.140 quilos por hectare (85,6 sacas por hectare) para 5.160 quilos por hectare (86 sacas por hectare).

Os técnicos da Conab ressaltam que a colheita da segunda safra do cereal, que foi iniciada em junho no estado deve ser concluída somente em setembro. Essa “janela de colheita” ocorre em razão dos atrasos na semeadura do grão, que fizeram com que cerca de 30% da área cultivada com milho safrinha em Mato Grosso do Sul fosse plantada fora do período estipulado pelo Zoneamento Agrícola de Risco Climático, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Com o volume estimado para está safrinha, Mato Grosso do Sul deve permanecer neste ciclo como terceiro maior produtor do cereal na safra de inverno no país, ficando atrás somente de Mato Grosso, que deverá colher 18,402 milhões de toneladas e do Paraná, que deverá produzir 10,781 milhões de toneladas.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também