Buracos nas ruas de Campo Grande, só aumentam

Oficinas de Campo Grande não tem nada a reclamar nestes tempos de crise. Isso porque o movimento aumentou 30% por causa das chuvas do mês de setembro que tem provocado vários buracos pela cidade.

A prefeitura informou que não tem previsão de quando os buracos serão tampados. Serviços não essenciais, como o tapa-buracos, estão suspensos pelo município por causa da crise financeira.

Em setembro, foram registrados 130 milímetros, 50 mm a mais que a média histórica do mês. Por causa disso, em vários bairros da cidade encontra-se buracos nas ruas. A atenção dos motoristas deve ser redobrada para evitar prejuízos.

“Está um perigo. Pior que os buracos não estão pequenos mais não, estão umas panelas”, afirmou Hudson Rios, serígrafo.

Um conserto de roda, por exemplo, custa em média R$ 130. Mas em alguns casos, o prejuízo pode ser ainda maior. “Os prejuízos são as danificações do alinhamento, nas cambagens e nos casters isso nos carros que afeta a suspensão”, explicou José Bezerra, dono da oficina.

Facebook
Twitter
WhatsApp

Leia Também