Blatter combinou suborno de US$ 10 mi com àfrica do Sul, diz jornal

O presidente da Fifa, Joseph Blatter, e o então presidente da África do Sul, Thabo Mbeki, trocaram e-mails em 2007 negociando o pagamento de US$ 10 milhões de dólares, valor que seria depois repassado a dirigentes como suborno pelo apoio à candidatura sul-africana pela Copa do Mundo de 2010. É o que afirma o jornal sul-africano Sunday Times, neste domingo, garantindo que teve acesso a tais e-mails, ainda que não os tenha publicado na íntegra.

De acordo com o jornal, um e-mail foi enviado pelo secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, ao governo da África do Sul, perguntando quando seria feita a transferência dos 10 milhões de dólares combinados. O francês teria escrito que a cifra tinha como base "as discussões entre a Fifa e o governo sul-africano, e também entre o nosso presidente (Blatter) e o presidente Thabo Mbeki".

A denúncia corrobora uma reportagem apresentada pela BBC neste domingo. A emissora britânica mostrou que o então vice-presidente da Fifa Jack Warner usou cerca de US$ 10 milhões doados pela África do Sul para fins pessoais. Oficialmente, tanto o governo sul-africano como a Fifa insistem que o dinheiro fazia parte de um fundo para o desenvolvimento no Caribe.

O FBI aponta que o dinheiro seria mais uma prova da compra de votos para sediar a Copa do Mundo. Documentos mostrados na reportagem da BBC revelaram que a Fifa sabia de tudo, ainda que o secretário-geral da entidade, Jérôme Valcke, insista que quem liberou o dinheiro foi Julio Grondona, outro vice-presidente, morto no ano passado.

Segundo o FBI, existem indícios de que o dinheiro de fato seria uma propina, em troca do voto de Warner para a África do Sul. O governo sul-africano concorria contra o Egito e Marrocos.

(com Estadão Conteúdo)

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também