Administração de Alcides Bernal, abandona a praça do Itanhangá

A Praça Itanhangá, localizada na Rua Chaadi Scaff, é considerada um cartão-postal da Cidade Morena e se encontra em estado de abandono quase completo. Problemas como falta de manutenção, segurança e limpeza têm afugentado os moradores e frequentadores de um espaço público que figura entre os mais bonitos da cidade, tanto que é cenário predileto de fotógrafos e produtoras de vídeo para gravação de comerciais para TV e cliques para books fotográficos e capas de CDs de música.

O morador Tomas Oliveira, de 19 anos, era assíduo da praça e está indignado. “A praça está abandonada. Não limpam, a ponte de madeira precisa de reforma, o bebedouro está quebrado e não tem água nas torneiras”, reclamou. O parque infantil, que costumava atrair muitas crianças nos finais de semana e contava com chão de areia, também não tem recebido manutenção por parte da administração municipal. O que se vê hoje é terra e, quando chove, lama. A torneira em frente ao parquinho também não funciona mais.

A falta de segurança é outro problema apontado pelos frequentadores. “Na última enchente, há mais ou menos um mês, a grade se rompeu e qualquer um entra de madrugada”, relatou Tomas. A presença dos guardas municipais, que antes era constante, foi reduzida, aumentando a insegurança.

Já o lixo começa a acumular-se pelos jardins. Moradora dos fundos da praça há 29 anos, Ângela Maria Costa não tem caminhado mais por lá por esse motivo. “Tem muito mosquito, o abandono é total. Não estão mais vindo limpar, há muita sujeira e a escuridão já impera há quase um ano”, indignou-se. “Três pessoas aqui de casa já pegaram dengue, pois o córrego passa perto do meu muro”, afirmou.

Antes muito utilizada para futebol de salão pelos moradores no período noturno, a quadra esportiva também está na UTI. Suas grades encontram-se bastante danificadas e os holofotes apagados, oferecendo real perigo aos usuários.

Mas a situação da praça nem sempre foi tão ruim. De acordo com Ângela, na administração do ex-prefeito Lúdio Coelho a praça era um primor. “Tínhamos orgulho, era lindo e muito limpo aqui”, comentou a moradora. Outro momento próspero foi quando a administração da área ficou informalmente a cargo dos moradores, que criaram a associação Amigos da Praça. “A associação recolhia doações de moradores, que contratavam jardineiros, fazia a manutenção e ficou razoável. Para ela, no entanto, isso não é justo. “Já pagamos IPTU supercaro para não dispormos de um direito nosso? Isso não está correto”, afirmou.

Facebook
Twitter
WhatsApp

Leia Também