Acionista minoritária processa Petrobras por prejuízos causados por corrupção

A acionista minoritária da Petrobras Vera Lucia Tavares Monteiro entrou ontem com ação na Justiça Federal no Rio de Janeiro contra a petroleira e a sua acionista majoritária, a União, por prejuízos causados pelo esquema de corrupção investigado pela Polícia Federal.

Representada pelo escritório Villela e Kraemer Advogados, a minoritária pede indenização por prejuízos materiais e morais que os atos ilícitos praticados pela Petrobras e a União causaram a ela.

As provas da ação são baseadas nas confissões feitas no âmbito das investigações da operação Lava Jato.

O valor de indenização por danos morais, segundo a ação, deverá ser fixado pelo juiz. Já o valor da perda patrimonial pode ser medido pela diferença entre o valor de compra e o valor pelo qual cada um dos autores tenham vendido, ou venham a vender as ações e obtendo prejuízo, propõem os advogados da minoritária. A diferença deverá ser corrigida monetariamente, com acréscimo de juros legais.

"Na realidade, a autora comprou 6.000 ações de uma empresa sólida, motivo de orgulho de todos os brasileiros e que tinha um patrimônio líquido considerável, sendo hoje acionista de uma empresa que foi saqueada, experimentando perdas de bilhões de reais. Não se trata de um insucesso empresarial, nem tampouco de manipulação no preço de ações, ou de qualquer outra razão que pudesse ser enquadrada no conceito do risco, normal para quem compra ações no mercado acionário", afirmam os advogados de Vera Lucia, na ação.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também