A lista de políticos a quem Pessoa diz ter dado dinheiro obtido no Petrolão

O engenheiro Ricardo Pessoa, dono da construtora UTC, tem contratos bilionários com o governo, é apontado como o chefe do clube dos empreiteiros que se organizaram para saquear a Petrobras e cliente das palestras do ex-presidente Lula. Desde a sua prisão, em novembro passado, ele ameaça contar com riqueza de detalhes como petistas e governistas graúdos se beneficiaram do maior esquema de corrupção da história do país. Nos últimos meses, Pessoa pressionou os detentores do poder – por meio de bilhetes escritos a mão – a ajudá-lo a sair da cadeia e livrá-lo de uma condenação pesada. Ao mesmo tempo, começou a negociar com as autoridades um acordo de delação premiada. o empresário se recusava a revelar o muito que testemunhou graças ao acesso privilegiado aos gabinetes mais importantes de Brasília. O Ministério Público queria extrair dele todos os segredos da engrenagem criminosa que desviou pelo menos 6 bilhões de reais dos cofres públicos. Essa negociação arrastada e difícil acabou na semana passada, quando o ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), homologou o acordo de colaboração entre o empresário e os procuradores.

VEJA teve acesso aos termos desse acerto. O conteúdo é demolidor. As confissões do empreiteiro deram origem a 40 anexos recheados de planilhas e documentos que registram o caminho do dinheiro sujo. Em cinco dias de depoimentos prestados em Brasília, Pessoa descreveu como financiou campanhas à margem da lei e distribuiu propinas. Ele disse que usou dinheiro do petrolão para bancar despesas de 18 figuras coroadas da República. Foi com a verba desviada da estatal que a UTC doou dinheiro para as campanhas de Lula em 2006 e de Dilma em 2014. Foi com ela também que garantiu o repasse de 3,2 milhões de reais a José Dirceu, uma ajudinha providencial para que o mensaleiro pagasse suas despesas pessoais. A UTC ascendeu ao panteão das grandes empreiteiras nacionais nos governos do PT. Ao Ministério Público, Pessoa fez questão de registrar que essa caminhada foi pavimentada com propinas. Altas somas.

A lista dos favorecidos:

Campanha de Dilma em 2014;   7,5 milhões de reais
Campanha de Lula em 2006;      2,4 milhões de reais
Ministro Edinho Silva (PT)           *Como tesoureiro, arrecadou dinheiro para a campanha de Dilma de 2014
Ministro Aloizio Mercadante (PT);       250.000 reais
Senador Fernando Collor (PTB);        20 milhões de reais
Senador Edison Lobão (PMDB);        1 milhão de reais
Senador Gim Argello (PTB);             5 milhões de reais
Senador Ciro Nogueira (PP);             2 milhões de reais
Senador Aloysio Nunes (PSDB);        200.000 reais
Senador Benedito de Lira (PP);         400.000 reais
Deputado José de Fillipi (PT);           750.000 reais
Deputado Arthur Lira (PP);              1 milhão de reais
Deputado Júlio Delgado (PSB);         150.000 reais
Deputado Dudu da Fonte (PP);       300.000 reais
Prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT);      2,6 milhões de reais
O ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto;          15 milhões de reais
O ex-ministro José Dirceu;                                 3,2 milhões de reais
O ex-presidente da Transpetro Sergio Machado;    1 milhão de reais

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também