“A administração do Bernal não deu certo”, Atayde Nery pré- candidato do PPS

Secretário de Estado licenciado, Athayde Nery se coloca como pré-candidato a prefeito da Capital e defende que a iniciativa do PPS de apresentar um projeto de gestão nas eleições vai de encontro com o desejo principal da sociedade. De acordo com ele, a crise além de ser econômica é de representatividade na política, o que determina para os partidos a prerrogativa de sustentar a identidade ideológica, em detrimento de fisiologismos.
“Temos uma bandeira que não pode ficar encolhida diante de todo esse cenário de mudança. O PPS é um partido que deseja uma política mais próxima do cidadão e provou isso no 1º turno e no 2º turno de 2012.

Com o Reinaldo já lutávamos por uma mudança, e apoiamos o Bernal no mesmo pleito, só que não vimos resultado prático”, destaca Athayde, que na última legislatura foi vereador, e também se licenciou do cargo, para gerir a Fundac (Fundação Municipal de Cultura). No entanto, ele alega que foi justamente por ter participado da administração de Nelson Trad Filho que buscou a ‘mudança’ para Campo Grande. "A adminsitração do Bernal não deu certo", disse o pré-candidato a prefeito da Capital.

“A cidade precisa de um planejamento mais sério, que sejam construídas de forma compartilhada pois não se faz política sozinho. Política se constrói com participação e só com a participação efetiva a gente pode definir caminhos. Somos a favor do parlamentarismo, justamente porque democratiza as soluções políticas”, diz o pré-candidato, que se afastou temporariamente do comando da Sectei (Secretaria de Estado de Cultura, Empreendedorismo e Inovação). Para ele, o ‘segundo passo’ depois da elaboração de um plano de ação é o de construir uma base no legislativo, que esteja convencida da eficiência desse projeto.

Athayde define que não há como ignorar a importância do legislativo no sistema político e que a modernização do sistema passa por uma proximidade maior com o parlamentarismo, em razão de significar uma divisão mais madura de responsabilidades. 
Ex-braço forte de Bernal

Atualmente como chefe de gabinete de um pré-candidato a prefeito da Capital, Wanderley Ben Hur já foi em um passado recente o homem forte da prefeitura, onde além de ser o secretário municipal de Planejamento, Finanças e Controle, também ajudava na construção de uma relação mais republicana entre o legislativo e o executivo. Ele confessa que gostaria de ter alcançado sucesso nessa ‘ação extra’, e que durante o governo de Gilmar Olarte, e a segunda passagem de Alcides Bernal nada mudou nesse sentido.

“O entendimento entre a prefeitura e a Câmara tem uma importância enorme para qualquer cidade e aqui, desde 2013 essa relação simplemente não aconteceu. Espero que no próximo mandato esses dois poderes possam atuar melhor por essa construção conjunta, porque é possível. Nestes quatro anos, porém, provou que não era tão viável com estes personagens políticos”, conta.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também