Conheça os 19 possíveis candidatos ao governo de MS

19.02.2021

Foto: Reprodução/

Em 2022 teremos eleição para governador de Mato Grosso do Sul. É tempo suficiente para construir, ajustar ou até desfazer projetos eleitorais.
 
Prevenir contra surpresas, algumas condições são determinantes, entre elas a de entender o que aconteceu nos pleitos anteriores (2018 e 2020), e dessa leitura extrair a receita para fazer à próxima disputa.

O Instituto Ranking vai divulgar a primeira pesquisa no início de março, visando as eleições do ano que vem, e selecionou 19 nomes que foram citados por partidos e especialistas como possíveis pré-candidatos ao governo do Estado. Veja uma breve biografia dos nomes mencionados neste levantamento. 

Faça sua aposta você também!

 

PROFESSORA ROSE MODESTO
Deputada federal mais votada em 2018. Hoje no PSDB, Professora Rose Modesto já foi vereadora na Capital, vice-governadora do estado, idealizadora do Projeto Tocando em Frente, foi candidata a prefeita em Campo Grande, onde obteve quase 170 mil votos. Para se viabilizar como candidata a governadora, bem articulada e sem medo de desafios, Rose deve buscar um novo partido para vencer nas urnas e governar Mato Grosso do Sul. 

 

EDUARDO RIEDEL
Atual Secretário de Governo e Gestão Estratégica do governador Reinaldo Azambuja. É empresário do agronegócio, presidiu o Sindicato Rural de Maracaju e a Federação de Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul (Famasul). Riedel é a aposta do PSDB para as próximas eleições. A sigla, que elegeu 37 dos 79 prefeitos, vem forte para a disputa. Homem de total confiança do governador, Riedel ainda não foi testado nas urnas.

 

ANDRÉ PUCCINELLI
Ex-governador do Mato Grosso do Sul, já foi deputado estadual, deputado federal, secretário de saúde do estado, prefeito de Campo Grande por dois mandatos. Puccinelli foi considerado o melhor prefeito da Capital dos últimos tempos. Nome forte no MDB e na articulação política estadual, esteve fora da última disputa ao governo por problemas pontuais.

 

NELSINHO TRAD 
Senador da República, acumula mandatos de vereador, deputado estadual e prefeito da Capital em duas gestões. Disputou a eleição para o governo do estado em 2014, obtendo pouco mais de 217 mil votos e ficando em terceiro lugar. Pré-candidato do PSD, seu maior desafio é dentro da família (Trad, Mandetta e Maksoud), onde outros parentes podem se apresentar para disputa.

 

MURILO ZAUITH
Engenheiro civil, é o atual vice-governador do Estado do Mato Grosso do Sul, renunciou ao mandato de Deputado Federal na Legislatura 2003-2007, para assumir o cargo. Ex-prefeito de Dourados, Murilo já foi Secretário Estadual e Municipal e ainda deputado estadual por dois mandatos. Para viabilizar sua candidatura ao governo será necessário romper com o atual governador e até com o próprio partido.

 

SORAYA THRONICKE
Senadora da republica eleita pela onda Bolsonaro em 2018. Soraya é advogada, pós-graduada em direito tributário e direito da família. Natural da cidade de Dourados é proprietária de uma rede de motéis. Presidente do PSL Mulher, Thronicke é considerado um nome cotado a disputar o governo pelo PSL, sigla que vem enfrentando dificuldade de consenso nas escolhas para disputas eleitorais.

 

RICARDO AYACHE  
Cardiologista, presidente reeleito da Caixa de Assistência dos Servidores Públicos de MS (Cassems), onde vem fazendo uma excelente administração. Foi candidato ao Senado em 2014 e ficou em 2° lugar nas urnas. Carismático, Ayache pode ser uma opção do PSB para disputar o governo. 

 

ZECA DO PT
Ex-deputado federal, ex-vereador e ex-governador do estado por dois mandatos, Zeca já foi deputado estadual e presidente do Sindicato dos Bancários de Campo Grande e Região, na época em que trabalhava no Banco do Brasil. Zeca pode ser o nome indicado pelo Partido dos Trabalhadores para disputa ao governo do estado. 

 

LUÍS HENRIQUE MANDETTA
Ex-ministro da saúde do governo Bolsonaro ganhou notoriedade nacional diante do enfrentamento da Covid-19 no início da pandemia. Médico ortopedista, Mandetta já foi secretário municipal de saúde da Capital e deputado federal. Mandetta também pode ser um nome da disputa ao governo do estado, ou pode alçar voos mais altos na disputa da presidência da república.

 

CAPITÃO CONTAR
Oficial do Exército, foi eleito na onda Bolsonaro em 2018. Foi o deputado estadual mais votado do Mato Grosso do Sul. Sem grupo político, Contar encontrará dificuldades dentro do próprio partido, PSL, para conseguir a legenda na disputa. 

 

MARQUINHOS TRAD
Reeleito em primeiro turno em 2020 com 52,58% a prefeito de Campo Grande. Em uma cidade dividida, 47,42% dos eleitores que foram as urnas na Capital, votaram contra a sua administração. Marquinhos já foi vereador e deputado estadual. Para disputar o governo teria que renunciar ao cargo de prefeito, convencer a família (Trad, Mandetta e Maksoud) e fazer uma base política no interior do estado, onde não é conhecido. 

 

JUIZ ODILON     
Juiz federal aposentado, conhecido pelo combate a corrupção, foi testado pela primeira vez nas urnas em 2018, onde alcançou 31,62% dos votos no primeiro turno e 47,65% no segundo turno. Pode ser um nome indicado por algum partido para a próxima disputa.

 

SIMONE TEBET
Senadora da república pelo MDB, já foi deputada estadual, prefeita de Três Lagoas por dois mandatos. Seu maior legado é a história política da sua família. Desistiu da disputa ao governo na última eleição, onde foi indicada pelo seu partido. Seu dilema em 2022 é disputar a reeleição ao Senado, ser candidata ao governo ou ficar fora do pleito eleitoral.

 

TEREZA CRISTINA
Deputada federal licenciada eleita pelo DEM/MS ocupa o cargo de Ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Bolsonaro. Pecuarista, já foi candidata a prefeita do município de Terenos, onde não se elegeu. Tereza tem a difícil decisão de escolher entre a reeleição a deputada federal, disputar o senado, governo do estado ou até viabilizar seu nome como uma possível vice-presidente de Bolsonaro na reeleição, representando a Bancada Ruralista. 


DELCÍDIO DO AMARAL
Ex-senador da república, ex-ministro de Minas e Energia no governo Itamar Franco. Atualmente ocupa a presidência estadual do PTB. Delcídio foi inocentado pela justiça e busca reaver seus direitos políticos. Pode ser o nome do PTB ao governo do Estado com o apoio de Roberto Jefferson. O ex-senador também pode buscar sua volta ao Senado ou até disputar uma das oito vagas para a Câmara Federal.


WALDELI DOS SANTOS
Ex-prefeito de Costa Rica por vários mandatos chegou a alcançar aprovação de mais de 94% da população do município. Waldelí é empresário, economista, além de ter sido presidente da Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul) e vice-presidência do Cointa (Consórcio Intermunicipal para o Desenvolvimento Sustentável da Bacia Hidrográfica do Rio Taquari). É um nome do interior do estado que pode aparecer como opção do MDB.

 

CRIS DUARTE
Presidente municipal do PSOL, psicóloga, feminista, diretora executiva da Revista Empodere, militante na defesa dos Direitos Humanos, Cris pode ser um nome de renovação de partidos de esquerda.  Cris Duarte apresentou seu nome para ser testada nas urnas em 2020 na disputa para administrar a Capital Morena, obtendo mais de 1% dos votos.

 

MARCELO BLUMA
Ex-vereador por Campo grande por três mandatos, é presidente regional do Partido Verde. Engenheiro civil e advogado, Bluma já foi candidato a deputado estadual, deputado federal, prefeito de Campo Grande e a governador do estado, mas não foi eleito.

 

SÉRGIO HARFOUCHE
Sérgio Fernando Raimundo Harfouche (Fátima do Sul, 6 de abril de 1963) é um jurista filiado ao Avante. É membro do Ministério Público do Estado de Mato Grosso do Sul desde 1992 e ganhou notoriedade por sua atuação na defesa dos direitos da criança e do adolescente. Em 2018, foi candidato ao Senado obtendo 292. 301 votos. Em 2020 foi candidato a prefeito de Campo Grande e teve 48.094 votos.

 

Fonte: Ranking/Diário MS News

Antonio Ueno

Jornalista e Cientista Político 

VOltar ao Topo

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Envie sua notícia

(67) 99968-0055

© 2019 Diário MS News. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.
Livre reprodução, transmissão ou redistribuição dos conteúdos sem edição. Pede-se a citação do crédito.

Site desenvolvido por: